Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 08 de novembro de 2019.
Dia Mundial do Urbanismo.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

indústria

Alterada em 08/11 às 10h03min

Indústria gaúcha volta a crescer em setembro, mas ainda tem queda frente a 2018

Produção avançou 2,9% no mês após anotar pior desempenho do País em agosto

Produção avançou 2,9% no mês após anotar pior desempenho do País em agosto


GREG BAKER/AFP/JC
Bruna Oliveira
Depois de amargurar o pior desempenho do País em agosto, a produção industrial gaúcha voltou a crescer. O setor avançou 2,9% em setembro ante o mês anterior, conforme mostrou a Pesquisa Mensal Industrial - Regional (PMI), divulgada nesta sexta-feira (8) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na comparação anual, no entanto, a indústria do Rio Grande do Sul segue em baixa e recuou 1,1% ante setembro de 2018. O desempenho do Estado ainda é positivo no acumulado do ano (4,3%) e nos últimos 12 meses (5,5%).
Depois de amargurar o pior desempenho do País em agosto, a produção industrial gaúcha voltou a crescer. O setor avançou 2,9% em setembro ante o mês anterior, conforme mostrou a Pesquisa Mensal Industrial - Regional (PMI), divulgada nesta sexta-feira (8) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na comparação anual, no entanto, a indústria do Rio Grande do Sul segue em baixa e recuou 1,1% ante setembro de 2018. O desempenho do Estado ainda é positivo no acumulado do ano (4,3%) e nos últimos 12 meses (5,5%).
Frente a 2018, as maiores perdas por segmento no Estado foram apuradas na fabricação de produtos de fumo (-41,3%), na fabricação de produtos de borracha e de material plástico (-9,3%) e na produção de veículos automotores, reboques e carrocerias (-8,8%). Os desempenhos positivos mais expressivos ficaram com a fabricação de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos (13,6%), preparação de couro e fabricação de artefatos de couro (9,2%), fabricação de bebidas (6,0%) e fabricação de móveis (4,5%).
O resultado mensal gaúcho vem acima da média nacional, que cresceu somente 0,3% de agosto para setembro, com alta em 10 dos 15 locais pesquisados pelo IBGE. Bahia (4,3%) e Região Nordeste (3,3%) registraram os avanços mais acentuados, seguidos do RS. O recuo mais intenso no mês foi registrado no Pará (-8,3%), à frente de Amazonas (-1,6%), São Paulo (-1,4%), Rio de Janeiro (-0,6%) e Goiás (-0,1%).
Já em relação a setembro de 2018, o setor industrial brasileiro avançou 1,1% em setembro deste ano, com alta em seis dos quinze locais pesquisados.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia