Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 07 de novembro de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado financeiro

07/11/2019 - 11h32min. Alterada em 07/11 às 11h45min

Ibovespa sobe com exterior, apesar de nova frustração com leilões de petróleo

O apetite por risco no mercado internacional garantiu abertura positiva ao Índice Bovespa nesta quinta-feira (7), apesar de o resultado da sexta rodada de licitações de partilha da cessão onerosa ter frustrado as expectativas mais uma vez.
O apetite por risco no mercado internacional garantiu abertura positiva ao Índice Bovespa nesta quinta-feira (7), apesar de o resultado da sexta rodada de licitações de partilha da cessão onerosa ter frustrado as expectativas mais uma vez.
Às 11h15min, o Ibovespa rodada nos 109 mil pontos, em alta de 0,66%. As ações da Petrobras subiam 0,74% (ON) e 0,67% (PN). O dólar à vista era negociado a R$ 4,0950, em alta de 0,39%. O pregão trem influência positiva das ações do setor financeiro e de commodities.
Das cinco áreas de exploração de petróleo ofertadas nesta quinta, somente uma foi vendida e, assim como ontem, a Petrobras foi quem salvou o leilão.
Em parceria com a chinesa CNODC, a estatal petrolífera brasileira arrematou o bloco de Aram, o mais nobre entre os cinco ofertados no leilão. O governo arrecadou R$ 5,5 bilhões de bônus de assinatura na licitação.
Antes do leilão, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, disse que a licitação seria mais competitiva hoje. Após o certame, o ministro ressaltou que a arrecadação total com os leilões dessa quarta-feira (6) e desta quinta somam cerca de R$ 85 bilhões.
"O resultado dos leilões foi extremamente positivo para o País. A gente pode melhorar esse regime de exploração de petróleo no Brasil. Essas áreas (não vendidas nesta quinta) vão voltar a ser ofertadas", afirmou Albuquerque, que admitiu que o direito de preferência da Petrobrás naturalmente reduziu a competitividade nos leilões. "Não acho de bom senso manter o regime como é hoje. (...) Vamos anunciar em dezembro os leilões para os próximos três anos", disse.
No exterior, o bom humor segue sendo alimentado pelos novos sinais de entendimento entre Estados Unidos e China, que concordaram em reduzir sobretaxações a produtos gradativamente.
Na última hora de negociação, destaque para o número de pedidos de auxílio-desemprego nos EUA, que caiu 8 mil na semana passada, para 211 mil. A queda no número de pedidos foi superior à projeção de analistas consultados pelo Wall Street Journal, de 215 mil.
Estadão Conteúdo
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia