Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 07 de novembro de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 07/11 às 08h08min

Bolsas asiáticas sobem sem vigor com possível atraso em acordo EUA-China

As bolsas asiáticas fecharam perto da estabilidade ou com ganhos modestos nesta quinta-feira (7), em meio a preocupações de que haja um atraso na assinatura de um pacto comercial entre Estados Unidos e China.
As bolsas asiáticas fecharam perto da estabilidade ou com ganhos modestos nesta quinta-feira (7), em meio a preocupações de que haja um atraso na assinatura de um pacto comercial entre Estados Unidos e China.
Citando uma fonte do governo americano, a Reuters noticiou ontem que uma reunião entre o presidente dos EUA, Donald Trump, e da China, Xi Jinping, para assinar um acordo comercial preliminar poderá ser adiada para dezembro. Existe a possibilidade de que o encontro ocorra às margens da cúpula que a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) marcou para o próximo mês, em Londres, diz a agência de notícias. Nas últimas semanas, as expectativas eram de que americanos e chineses selassem a chamada "fase 1" de um acordo provisório ainda em novembro.
Na China continental, o índice Xangai Composto encerrou o pregão praticamente estável, a 2.978,71 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 0,64%, a 1.651,77 pontos.
Em outras partes da Ásia, o japonês Nikkei subiu 0,11% em Tóquio, a 23.330,32 pontos - com destaque para a montadora Toyota (+1,14%), que divulgou alta anual de 1,2% no lucro líquido do trimestre até setembro, a 592 bilhões de ienes (US$ 5,43 bilhões) -, e o sul-coreano Kospi mostrou alta marginal de 0,01% em Seul, a 2.144,29 pontos, mas o Taiex foi exceção e caiu 0,40% m Taiwan, a 11.606,56 pontos.
Quando a maioria das principais bolsas asiáticas já havia encerrado os negócios, o Ministério do Comércio chinês anunciou que China e EUA concordaram em remover as atuais tarifas impostas a importações um do outro em etapas. Se um acordo em "fase 1" for de fato assinado, os dois países irão retirar as tarifas simultaneamente e em valores iguais, segundo o porta-voz do ministério, Gao Feng. Gao acrescentou, porém, que ainda não foi definido quando e onde um eventual acordo poderá será assinado.
Ainda operando quando foi feito o anúncio sobre as tarifas sino-americanas, a Bolsa de Hong Kong terminou o dia em alta de 0,57%, com o índice Hang Seng a 27.847,23 pontos.
Na Oceania, a bolsa australiana ficou no azul, impulsionada principalmente por ações de grandes bancos locais. O S&P/ASX 200 avançou 1% em Sydney, a 6.726,60 pontos. 
Estadão Conteúdo
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia