Porto Alegre, sexta-feira, 24 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 24 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Indústria Automotiva

- Publicada em 17h51min, 06/11/2019. Atualizada em 18h56min, 06/11/2019.

GM suspende venda de novo Onix para recall após registro de incêndio

Novo Onix foi lançado em megaevento na Capital; a GM quer manter a liderança na categoria de carro

Novo Onix foi lançado em megaevento na Capital; a GM quer manter a liderança na categoria de carro


PATRÍCIA COMUNELLO/ESPECIAL/JC
Patrícia Comunello
Incêndios registrados de veículos Onix Plus, novo carro fabricado pela General Motors na planta de Gravataí, na Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPA), fizeram a montadora anunciar nesta quarta-feira (6) o recall de todas as unidades do modelo já entregues a consumidores no Brasil. As vendas do carro, que começaram em setembro como aposta para manter a liderança na categoria, estão suspensas, informou a marca.
Incêndios registrados de veículos Onix Plus, novo carro fabricado pela General Motors na planta de Gravataí, na Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPA), fizeram a montadora anunciar nesta quarta-feira (6) o recall de todas as unidades do modelo já entregues a consumidores no Brasil. As vendas do carro, que começaram em setembro como aposta para manter a liderança na categoria, estão suspensas, informou a marca.
O novo Onix é o primeiro modelo da nova plataforma global da montadora instalada no Rio Grande do Sul, que envolveu investimentos de R$ 1,4 bilhão, desde 2017, somente em Gravataí. O aporte faz parte da terceira ampliação da planta desde 1999, quando foi inaugurada. O lançamento do carro foi marcado por um megaevento em 12 de setembro, no Centro de Eventos da Fiergs, em Porto Alegre, com mais de 600 convidados. 
Notícias sobre economia são importantes para você?
Ao mesmo tempo que vem à tona o recall, admitido em nota oficial divulgada nesta quarta-feira (6), a fábrica também teve, nesta quarta-feira, a suspensão do segundo turno da produção. A GM descartou qualquer relação com a falha e atribuiu a interrupção à falta de peças em uma das etapas de montagem. Por isso, a direção da unidade teria optado pela parada, que seria momentânea.
A previsão é que a fabricação seja retomada no terceiro turno, que começa à meia-noite desta quarta, indicou a fábrica. A montadora não detalhou os componentes que faltaram e provocaram a parada.
A empresa também informou que o recall e a suspensão da produção não mudam os planos de realizar um evento nesta sexta-feira (8), para apresentar a expansão da unidade. O ato deve ter a presença do governador Eduardo Leite e outras autoridades, além de dirigentes da companhia no Brasil e na América do Sul.
A unidade, que está dentro do Centro Industrial Automotivo de Gravataí (Ciag), opera no sistema chamado just-in-time, pelo qual fornecedores entregam peças praticamente em tempo real, pois não há estoques. Para assegurar a operação neste sistema, os principais sistemistas (que são os fornecedores) ficam dentro do polo ou até 50 quilômetros de distância. Hoje 17 dos 21 sistemistas estão dentro do Ciag.
Já o recall servirá para corrigir um problema detectado no software de gerenciamento do funcionamento do motor. A empresa disse que os "proprietários dos modelos envolvidos serão chamados a comparecer a uma concessionária Chevrolet para realizar de forma gratuita o serviço".
Em nota, a GM esclareceu que "condições muito específicas e combinadas de pressão atmosférica, temperatura ambiente, umidade relativa do ar e composição do combustível, o software de gerenciamento do motor pode, eventualmente, apresentar falha, com risco de danos ao motor e potencial incêndio". Uma luz indicadora de funcionamento incorreto do programa acende no painel de instrumentos, diz a GM. A empresa cita um caso de veículo na região Nordeste do País no qual teria sido verificado o problema. 
A montadora negou que um carro que pegou fogo e estava estacionado no pátio da fábrica em Gravataí, em setembro, tenha relação com a falha. O incidente chegou a ser compartilhado em redes sociais, gerando questionamentos. "Foi um caso isolado provocado por um fator que não tinha relação com o projeto do veículo", afirmou a GM, na nota.
A fábrica gaúcha opera em três turnos desde 2017, com uso de toda a capacidade, montando quase 1,4 mil carros por dia. Por hora, são 65 unidades e, por ano, a planta produz 330 mil carros, a maior capacidade instalada da marca na América do Sul. A fábrica é considerada uma das mais eficientes e com maior tecnologia entre unidades da GM no mundo, com salto ainda maior após a recente ampliação.
O alto volume de vendas do antigo Onix, que teve a produção transferida para São Caetano do Sul em setembro passando a se chamar Joy - novo nome estendido ao sedan Prisma -, fez a marca manter o nome na nova plataforma. Desde 2016, o Onix lidera o market share da categoria.          

A posição oficial da GM sobre os problemas com o Onix Plus:

A General Motors tem como prioridade a segurança dos seus clientes. Por isso, informa que está prontamente convocando os proprietários do Onix Plus modelo 2020 entregues até então para atualização do software de gerenciamento do motor.
Em condições muito específicas e combinadas de pressão atmosférica, temperatura ambiente, umidade relativa do ar e composição do combustível, o software de gerenciamento do motor pode, eventualmente, apresentar falha, com risco de danos ao motor e potencial incêndio, como no caso ocorrido na região Nordeste. Esta condição é precedida de um alerta visual no painel de instrumentos – a luz indicadora de funcionamento incorreto, referente ao motor, acende.
Os proprietários dos modelos envolvidos serão chamados a comparecer a uma concessionária Chevrolet para realizar de forma gratuita o serviço. Destacamos que o incidente anterior, ocorrido no pátio da fábrica de Gravataí em setembro, foi um caso isolado provocado por um fator que não tinha relação com o projeto do veículo."
Comentários CORRIGIR TEXTO