Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 01 de novembro de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

agronegócios

01/11/2019 - 16h24min. Alterada em 01/11 às 16h24min

Consumidores poderão degustar e comprar azeite gaúcho na Feira do Azeite Novo

Feira do Azeite Novo costuma ocorrer sempre no primeiro sábado de cada mês

Feira do Azeite Novo costuma ocorrer sempre no primeiro sábado de cada mês


Emerson Alves/ AgroUrbano/ divulgação/ jc
Os porto-alegrenses vão poder conhecer melhor a cultura da olivicultura produzida aqui no Rio Grande do Sul. Realizada desde abril no primeiro sábado de cada mês, a Feira do Azeite Novo ocorre neste sábado (2), no pátio da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, localizada na avenida Getúlio Vargas, 1.384, no bairro Menino Deus.
Os porto-alegrenses vão poder conhecer melhor a cultura da olivicultura produzida aqui no Rio Grande do Sul. Realizada desde abril no primeiro sábado de cada mês, a Feira do Azeite Novo ocorre neste sábado (2), no pátio da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, localizada na avenida Getúlio Vargas, 1.384, no bairro Menino Deus.
Os visitantes poderão degustar e comprar o azeite de oliva extravirgem de 20 marcas entre as 8h e 12h. Os azeites fazem parte da safra de 2019 e foram premiados no Brasil e no exterior. Na manhã de sábado, já ocorre na sede da secretaria a Feira Ecológica do Menino Deus.
O cultivo de oliveiras no Estado é recente, chegou há uma década, mas cresceu rapidamente. Em 2019, a safra foi de 1,4 milhão de quilos de azeitonas, efeito da expansão de 30% ao ano na área cultivada no Estado, segundo o Instituto Brasileiro de Olivicultura (Ibraoliva).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia