Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 21 de outubro de 2019.
Dia do Contato Publicitário.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

21/10/2019 - 08h06min. Alterada em 21/10 às 08h06min

Bolsas asiáticas fecham com ligeiros ganhos, de olho em EUA-China e Brexit

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta nesta segunda-feira (21), mas com variações muito modestas, de olho na disputa comercial entre Estados Unidos e China e nas incertezas em torno do Brexit, como é conhecido o processo para que o Reino Unido de retire da União Europeia.
As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta nesta segunda-feira (21), mas com variações muito modestas, de olho na disputa comercial entre Estados Unidos e China e nas incertezas em torno do Brexit, como é conhecido o processo para que o Reino Unido de retire da União Europeia.
Nos negócios da China continental, o índice Xangai Composto teve ganho marginal de 0,05% hoje, a 2.939,62 pontos, mas o menos abrangente Shenzhen Composto apresentou ligeira queda de 0,11%, a 1.614,87 pontos.
Segundo o jornal South China Morning Post, o vice-premiê da China Liu He declarou que seu país e os EUA fizeram "progresso concreto" em muitas áreas durante a última rodada de negociações em Washington e construíram um fundamento importante para a assinatura de um "acordo em fases".
No dia 11, americanos e chineses anunciaram a "fase 1" de um acordo comercial preliminar. O texto do pacto, contudo, ainda está em fase de elaboração.
Investidores também continuam atentos a eventuais novas medidas de estímulos de Pequim, após dados recentes mostrarem que a China cresceu no terceiro trimestre no ritmo mais fraco em 27 anos. O BC chinês (PBoC), contudo, decidiu hoje manter suas taxas de referência de empréstimos (LPRs) de um e cinco anos inalteradas em 4,20% e 4,85%, respectivamente.
Também continuam no radar os desdobramentos do Brexit, que têm influenciado o sentimento nos mercados financeiros de modo geral. No sábado (19), o Parlamento britânico aprovou uma emenda que adia a votação sobre o acordo de Brexit fechado na semana passada entre Londres e a UE, forçando o primeiro-ministro Boris Johnson a solicitar uma extensão da data de saída, marcada para o próximo dia 31.
Em outras partes da Ásia, o japonês Nikkei subiu 0,25% em Tóquio, a 22.548,90 pontos, antes de um feriado que manterá o mercado local fechado amanhã, enquanto o sul-coreano Kospi avançou 0,20% em Seul, a 2.064,84 pontos, o Hang Seng teve ligeira alta de 0,02% em Hong Kong, a 26.725,68 pontos, e o Taiex mostrou leve valorização em Taiwan, de 0,04%, a 11.184,15 pontos.
Na Oceania, a bolsa australiana também ficou perto da estabilidade, mas interrompeu uma sequência de dois pregões negativos. O S&P/ASX 200 avançou 0,04% em Sydney, a 6.652,50 pontos. 
Estadão Conteúdo
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia