Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 14 de outubro de 2019.
Feriado nos EUA: Columbus Day.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Gestão

Edição impressa de 14/10/2019. Alterada em 14/10 às 00h03min

Municípios gaúchos ganham agilidade com migração para o digital

Aldo Mees da IPM Sistemas - credito divulgação ipm sistemas

Aldo Mees da IPM Sistemas - credito divulgação ipm sistemas


/IPM SISTEMAS/DIVULGAÇÃO/JC
Eduardo Lesina
A tecnologia encurtou a distância entre os cidadãos e a administração pública nos municípios do Rio Grande do Sul. Através de tecnologias como a cloud computing – que permite armazenamento de dados na “nuvem” – milhares de cidadãos gaúchos já podem abrir protocolos, consultar gastos públicos e licitações e até iniciar o processo de abertura de uma empresa online e sem sair de casa.
A tecnologia encurtou a distância entre os cidadãos e a administração pública nos municípios do Rio Grande do Sul. Através de tecnologias como a cloud computing – que permite armazenamento de dados na “nuvem” – milhares de cidadãos gaúchos já podem abrir protocolos, consultar gastos públicos e licitações e até iniciar o processo de abertura de uma empresa online e sem sair de casa.
A migração dos sistemas municipais para versões digitais já é uma realidade em mais de 30 municípios gaúchos. “A implantação da tecnologia traz mais agilidade para que as prefeituras tenham melhor performance e trabalhem sem papel”, conta Aldo Mees, diretor-presidente da IPM Sistemas. A fabricante de software, especializada em gestão pública, já atua em mais de 90 municípios do Brasil e encerrou o primeiro semestre deste ano prestando serviço a 27 prefeituras gaúchas.
Pela internet, tanto a administração pública quanto os cidadãos têm a possibilidade de realizar tarefas que eram necessariamente presenciais e burocratizadas de uma forma mais rápida. Por exemplo, gestores e secretários podem despachar e autorizar pagamentos mesmo sem estar na prefeitura, além do sistema contar com um gerenciador de tarefas que otimiza o trabalho.
No caso dos cidadãos, que devem criar um cadastro para usufruir de todas as funcionalidades do sistema, o autoatendimento oferece: consultas tributárias, pagamento de IPTU ou ISS, informações sobre escolas públicas, até localizar empresas e estabelecimentos comerciais na cidade. Essas informações podem ser encontradas nos sites das prefeituras municipais, através do portal Atende.net.
Em Gravataí, sexto município mais populoso do Rio Grande do Sul, foram abertos mais de 350 mil processos nos sistemas digitais. O secretário da Fazenda municipal Davi Keller projeta, até o final deste ano, que o município atingirá mais de 100 mil processos, representando mais de 70% dos processos exclusivamente digitais.
“Além de trazer um aumento no nosso Business Intelligence (inteligência de negócios), o sistema digital nos traz um controle maior das despesas e um ganho em compliance”, explica o secretário, reforçando que o modelo tornou o serviço da administração mais ágil e menos burocrático. Segundo Keller, o processo interno já é totalmente digital e a prefeitura tem um gasto médio de R$ 250 mil por mês com o serviço, que é contratado através de licitação.
Para o secretário de Administração de Alvorada, Luiz Carlos Lopes, a migração para o sistema digital foi como “trocar da água para o vinho”. Conforme Lopes, o pagamento pela ferramenta, sempre separado por módulos e secretarias, custa em torno de R$ 110 mil. Segundo o secretário, com a implementação do sistema a prefeitura conseguiu reduzir seus gastos entre 40 mil e 50 mil mensais. A prefeitura alvoradense pretende estar, até o fim de 2020, com todo o sistema já migrado para o digital.
Em Novo Hamburgo, além da IPM Sistemas, o município conta com outras empresas de software, como a Di Uno, que trabalha com as áreas tributárias e de recursos humanos da prefeitura. A diretora de sistema da prefeitura de Novo Hamburgo, ngela Cristina Martin afirma que a cidade está em processo de licitação para um novo sistema e que a modernização trouxe maior transparência e agilidade no contato entre a prefeitura e o cidadão.
Além de Gravataí, Alvorada e Novo Hamburgo, outros municípios também têm contrato com a IPM Sistemas, como: Bento Gonçalves, Bom Progresso, Candelária, Coronel Bicaco, Cristal do Sul, Cruz Alta, Dois Irmãos, Dois Irmãos das Missões, Estrela, Estrela Velha, Gravataí, Horizontina, Igrejinha, Lagoa Bonita do Sul, Lagoa Vermelha, Nova Santa Rita, Osório, Palmitinho, Panambi, Parobé, Passa-Sete, Porto Alegre, Santa Rosa, Sobradinho e Vicente Dutra.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia