Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 10 de outubro de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Imobiliário

Edição impressa de 10/10/2019. Alterada em 10/10 às 03h00min

Preço médio dos imóveis residenciais recua 0,15%

Em Porto Alegre, foi registrada leve alta de 0,07% em setembro

Em Porto Alegre, foi registrada leve alta de 0,07% em setembro


LUIZA PRADO/JC
Após subir 0,06% em agosto, o preço médio anunciado dos imóveis residenciais no Brasil caiu 0,15% em setembro. No acumulado dos primeiros nove meses do ano, porém, houve crescimento de 0,17%. E, nos últimos 12 meses, a alta atingiu 0,28%. Os dados são da pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), que é feita a partir de anúncios de moradias em 50 cidades no site Zap, e foram divulgados nesta quarta-feira.
Após subir 0,06% em agosto, o preço médio anunciado dos imóveis residenciais no Brasil caiu 0,15% em setembro. No acumulado dos primeiros nove meses do ano, porém, houve crescimento de 0,17%. E, nos últimos 12 meses, a alta atingiu 0,28%. Os dados são da pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), que é feita a partir de anúncios de moradias em 50 cidades no site Zap, e foram divulgados nesta quarta-feira.
O levantamento mostra que o preço dos imóveis no País tem demorado a se recuperar e continua com um desempenho acumulado abaixo da inflação medida pelo IPCA, que subiu 2,42% nos primeiros nove meses do ano e aumentou 2,82% nos últimos 12 meses.
No caso das 16 capitais que fazem parte da pesquisa, o comportamento dos preços foi bem distinto em setembro. Em apenas cinco delas foram registradas altas, como são os casos de Porto Alegre (0,07%), Vitória (0,08%), Curitiba (0,25%), Belo Horizonte (0,26%) e Salvador (0,44%).
Já em 11 capitais houve recuo nos preços: Florianópolis (-0,06%), João Pessoa (-0,07%), São Paulo (-0,15%), Recife (-0,20%), Maceió (-0,28%), Goiânia (-0,33%), Rio de Janeiro (-0,39%), Campo Grande (-0,45%), Fortaleza (-0,53%), Manaus (-0,63%) e Brasília (-1,25%).
Com os resultados do mês, o valor médio do metro quadrado anunciado dos imóveis residenciais foi a R$ 7.193,00. O Rio de Janeiro se manteve como a cidade com o preço mais alto do País (R$ 9.379,00), seguida por São Paulo (R$ 8.919,00) e Brasília (R$ 7.485,00).
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia