Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 09 de outubro de 2019.
Dia Mundial dos Correios.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Varejo

Edição impressa de 09/10/2019. Alterada em 08/10 às 21h26min

Incerteza dita compras para Dia das Crianças

Rosângela e Denilson garantiram o presente do filho Pedro após realizarem pesquisa de preços

Rosângela e Denilson garantiram o presente do filho Pedro após realizarem pesquisa de preços


/MARCO QUINTANA/JC
Eduardo Lesina
No Dia das Crianças, os varejistas buscam alternativas para incrementar as vendas. Promoções, alternativas de crédito e contratos temporários são algumas das estratégias que os donos de lojas de brinquedos apresentam para fomentar as negócios nesta época importante para o setor. Mesmo com o otimismo das entidades que representam o varejo (que esperam um ticket médio entre R$ 135,00 e R$ 230,00), quem está no ponto de venda teme os resultados deste ano.
No Dia das Crianças, os varejistas buscam alternativas para incrementar as vendas. Promoções, alternativas de crédito e contratos temporários são algumas das estratégias que os donos de lojas de brinquedos apresentam para fomentar as negócios nesta época importante para o setor. Mesmo com o otimismo das entidades que representam o varejo (que esperam um ticket médio entre R$ 135,00 e R$ 230,00), quem está no ponto de venda teme os resultados deste ano.
A Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul (FCDL-RS) aponta para um crescimento de 4% a 5% em relação ao mesmo período em 2018. O estudo da Câmara de Dirigentes Lojistas de Porto Alegre (CDL POA) estima um indicador maior, entre 1,7% e 2,7%, em comparação com o ano passado. As projeções têm como base a liberação do saque parcial do FGTS e a queda da Selic para 5,50% ao ano - que devem aquecer o consumo no varejo.
"Esta é a data comemorativa que apresentou maior aumento do ticket médio em relação aos anos anteriores. Tomando como base os demais estudos que fizemos em 2019, observamos que o Dia das Mães e o Dia dos Namorados aumentaram o valor dos presentes em menos de 10%, enquanto no Dia dos Pais o percentual até recuou", explica Alcides Debus, presidente da CDL POA.
O otimismo das entidades lojistas, entretanto, não representa a totalidade das lojas de brinquedo porto alegrenses. Para Jeferson Alexandre, gerente da loja Brinkare no centro de Porto Alegre, o movimento ainda não correspondeu aos investimentos realizados na ampliação da equipe para o Dia das Crianças. Segundo o gerente, a estimativa é de uma queda de cerca de 12% nos rendimentos da loja em comparação ao ano passado. Afirma, no entanto, que as pessoas seguem comprando. "O mercado como um todo está mal, porém, mesmo com uma queda no poder aquisitivo, os clientes procuram outras alternativas sem deixar de garantir o presente das crianças", relata. Em vez de marcas consolidadas, parte dos consumidores tem buscado opções mais baratas para produtos semelhantes ou uma profunda pesquisa de preços.
Este foi o caso dos pais Denílson Bonsanto e Rosangela Trindade, que pesquisaram preços entre shoppings e lojas de departamento para garantir o presente do filho. Como o presente já havia sido escolhido pelo menino, os pais acompanharam Pedro Luis na busca pelo seus novos brinquedos.
Estudo da CDL POA confirma que os brinquedos seguem como o presente mais desejado, representando 56% das intenções de compras. Roupas, com 21% e dinheiro em espécie, com 5%, aparecem logo atrás. Com o boneco do youtuber Luccas Neto dominando as prateleiras, a um preço que varia de R$ 129,00 a R$ 150,00, outros produtos como bonecas e carrinhos de controle remoto ainda mantêm grande atratividade e visibilidade nas lojas, somados aos brinquedos como Pokémon e Beyblade.
Nas Lojas França, também no centro de Porto Alegre, a equipe de vendas foi fortalecida com contratos temporários - que também seguem para as vendas de Natal. Mesmo com o acréscimo de pessoal, o gerente Anderson Severo aponta que o movimento não está correspondendo à expectativa para a época. Como os balanços são realizados após o dia 12, Severo conta que a meta é buscar igualar os resultados do ano passado, mas antecipa que a meta é complicada. "Estamos tentando recuperar o que conseguimos em 2018, mas este ano está mais difícil." Mesmo assim, o gerente afirma que ainda há tempo de comprar, principalmente aqueles que deixaram para a última hora.
Para aqueles que ainda estão a procura do presente, o Centro Popular de Compras - Pop Center, abrirá normalmente no próximo sábado. A expectativa do Centro é de que mais de 100 mil pessoas circulem pelo local, que afirma ter abastecido seus estoques para receber os compradores. "Já notamos, na última semana, uma movimentação maior, com pessoas fazendo pesquisa de preços e atrás das melhores opções", analisa Elaine Deboni, diretora institucional do Pop Center.
Para a Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop), a data promete movimentar shoppings e aumentar as vendas em até 8% em relação ao ano passado. Segundo levantamento feito com a rede de lojas Rihappy os brinquedos mais desejados pelas crianças continuam sendo os licenciados e personagens de mídia, com destaque para as bonecas Baby Alive, LOL, Hot Wheels, Marvel, Toy Story, Luccas Neto, Patrulha Canina, PJ Mask, Slime e jogos clássicos de tabuleiro, por exemplo.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia