Porto Alegre, sábado, 25 de julho de 2020.
Dia do Escritor. Dia do Motorista .

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 25 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

veículos

- Publicada em 03h02min, 08/10/2019. Atualizada em 03h00min, 08/10/2019.

Ano deve fechar com alta de 9,1% nas vendas

Até setembro, já foram vendidos 2,8 milhões de automóveis

Até setembro, já foram vendidos 2,8 milhões de automóveis


MARCO QUINTANA/JC
A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) divulgou suas novas projeções para o fechamento do ano, com expectativa de crescimento na produção, e sobretudo nas vendas ao mercado interno. De acordo com o levantamento da equipe econômica da entidade, as vendas internas deverão fechar o ano com 2,8 milhões de unidades vendidas, um crescimento de 9,1% sobre 2018.
A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) divulgou suas novas projeções para o fechamento do ano, com expectativa de crescimento na produção, e sobretudo nas vendas ao mercado interno. De acordo com o levantamento da equipe econômica da entidade, as vendas internas deverão fechar o ano com 2,8 milhões de unidades vendidas, um crescimento de 9,1% sobre 2018.
O destaque positivo é o setor de pesados, com forte crescimento estimado de 35%, ultrapassando a marca das 100 mil unidades vendidas -- número que não era alcançado desde 2014. Já a produção deverá crescer menos, em função da queda de 33,2% nas exportações, provocada em grande parte pela crise da Argentina. Estima-se a alta em 2,1%, o que representará o terceiro ano consecutivo de recuperação na produção.
"As estimativas feitas no início do ano levavam em conta um crescimento maior do PIB, câmbio mais estável e maior agilidade na aprovação das reformas da Previdência e Tributária. Além disso, o cenário na Argentina ficou pior do que o imaginado. Na revisão feita agora, 85% da redução da expectativa de produção se deveu à queda de embarques aos nossos vizinhos argentinos", afirmou o presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes. "O mais importante é que manteremos o terceiro ano seguido de crescimento no mercado interno e na produção, com boas expectativas para 2020".
No fechamento de setembro, destaque para a marca de mais de 2 milhões de automóveis leves licenciados em nove meses, melhor resultado do período desde 2014 e mais do que todo o volume de 2016. Este foi o segundo melhor mês do ano em média diária de vendas, o que comprova o aquecimento do mercado neste segundo semestre, como é comum no setor automotivo. Mais uma vez, o melhor desempenho é o do setor de caminhões, que em nove meses praticamente atingiu todo o volume de vendas do ano passado.
Para Moraes, os bancos querem aumentar a oferta de crédito para aquisição de veículos em 20% a 25% no segundo semestre deste ano em relação ao segundo semestre do ano passado. "Temos conversado com os bancos e eles estão bastante otimistas em relação à oferta de crédito para o nosso setor", comentou o executivo.
Segundo ele, em setembro, houve aumento de 24% na comparação com igual mês do ano passado. "O aumento dos financiamentos já começou e estou otimista com o próximo trimestre", relatou.
Moraes lembrou que a taxa de inadimplência para aquisição de veículos está baixa e que o prazo médio de financiamentos tem sido de 44 meses, dados que mostram um cenário favorável ao crédito.
 
Comentários CORRIGIR TEXTO