Porto Alegre, sábado, 25 de julho de 2020.
Dia do Escritor. Dia do Motorista .

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 25 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Energia

- Publicada em 18h39min, 04/10/2019. Atualizada em 18h39min, 04/10/2019.

Taesa vai antecipar obras de linhas de transmissão avaliadas em R$ 600 milhões

Taesa vai implantar 587 quilômetros de linhas de transmissão no Rio Grande do Sul

Taesa vai implantar 587 quilômetros de linhas de transmissão no Rio Grande do Sul


EDP/DIVULGAÇÃO/JC
Depois do consórcio Chimarrão anunciar que vai antecipar a implantação de redes de transmissão no Rio Grande do Sul, é a vez da Taesa comunicar que também vai começar a executar mais cedo a implantação de 587 quilômetros de linhas de transmissão no Rio Grande do Sul, concentradas principalmente na Fronteira Oeste, e obras em cinco subestações. 
Depois do consórcio Chimarrão anunciar que vai antecipar a implantação de redes de transmissão no Rio Grande do Sul, é a vez da Taesa comunicar que também vai começar a executar mais cedo a implantação de 587 quilômetros de linhas de transmissão no Rio Grande do Sul, concentradas principalmente na Fronteira Oeste, e obras em cinco subestações. 
Os empreendimentos abrangerão Santana do Livramento, Quaraí, Alegrete, Rosário do Sul, São Gabriel, Cacequi, Dilermando de Aguiar, Santa Maria, Itaqui e Maçambará. O investimento total é de R$ 600 milhões. As obras de transmissão devem gerar 1.525 empregos diretos.
Segundo a empresa, há "entendimento e ações proativas" com a Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente e Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) para obtenção das licenças ambientais. "Pretendemos iniciar os trabalhos nas subestações ainda este ano e nas linhas de transmissão em janeiro de 2020", informou a Taesa, em nota. A empresa diz que concebeu um arranjo economicamente viável para fazer a antecipação, mas não deu detalhes.
A Taesa venceu, em dezembro de 2018, o lote 12 do leilão de transmissão realizado pelo governo federal, com uma oferta de R$ 58,9 milhões, deságio de 38,8% sobre a Receita Anual Permitida (RAP) estabelecida pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). 
Pelo acordo de concessão, as obras precisam ficar prontas até março de 2023. O presidente da Taesa, Raul Lycurgo Leite, já havia dito, em abril deste ano ao Jornal do Comércio, que esperava antecipar o cronograma. 
Os projetos assumidos pela Taesa seriam feitos pela Eletrosul. Esta condição facilitaria o exame das licenças, pois a Fepam já teria conhecimento dos projetos. A estatal não conseguiu ir adiante com os trabalhos devido a dificuldades financeiras. Com isso, as estruturas acabaram sendo relicitadas. 
A Taesa é uma companhia exclusivamente dedicada à construção, operação e manutenção de ativos de transmissão, com 9.869 quilômetros em operação e 2.857 quilômetros de extensão em construção, totalizando 12.726 quilômetros de linhas de transmissão. A sede da empresa fica no Rio de Janeiro. Com os empreendimentos no Estado, a empresa poderá abrir uma unidade gaúcha, aposta o governo estadual.
Comentários CORRIGIR TEXTO