Porto Alegre, sábado, 25 de julho de 2020.
Dia do Escritor. Dia do Motorista .

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 25 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Indústria

- Publicada em 21h26min, 24/09/2019. Atualizada em 21h25min, 24/09/2019.

Abicalçados revê previsão e espera crescimento maior

No acumulado do ano, produção de calçados aumentou 3,2% no País

No acumulado do ano, produção de calçados aumentou 3,2% no País


/JOÃO MATTOS/arquivo/JC
Jefferson Klein
Um inesperado e excelente resultado no mês de julho (alta de 11,8% na produção) fez o setor calçadista nacional rever para cima suas projeções para 2019. Até então, a estimativa da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) era de um crescimento de 1,1% em quantidade de produtos fabricados. Agora, o presidente da entidade, Haroldo Ferreira, projeta que seja possível alcançar um aumento de cerca de 3%. Em 2018, a produção foi de 944 milhões de pares.
Um inesperado e excelente resultado no mês de julho (alta de 11,8% na produção) fez o setor calçadista nacional rever para cima suas projeções para 2019. Até então, a estimativa da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) era de um crescimento de 1,1% em quantidade de produtos fabricados. Agora, o presidente da entidade, Haroldo Ferreira, projeta que seja possível alcançar um aumento de cerca de 3%. Em 2018, a produção foi de 944 milhões de pares.
O recente otimismo do dirigente é baseado em dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que apontam que, em julho, houve um incremento de 11,8% na produção de calçados no País, em relação ao mesmo mês no ano passado. Com o resultado, o segmento reverteu um quadro negativo na produção e ficou com crescimento de 3,2% no acumulado dos sete primeiros meses do ano. De janeiro a junho, a produção havia caído 1,8% em relação ao mesmo período de 2018.
Notícias sobre economia são importantes para você?
No varejo, o índice também é positivo. Conforme dados do IBGE, em julho, o incremento nas vendas foi de 6,6% e veio após quatro meses de quedas consecutivas. Com o desempenho, no acumulado dos sete meses, o segmento recuperou um quadro negativo e ficou 0,4% positivo. Ferreira admite que os números foram uma grata surpresa.
O presidente da Abicalçados considera que a fabricação de calçados estava represada e, no mês de julho, houve um grande avanço quanto à produção. O dirigente projeta que os índices positivos do mercado deverão ser mantidos durante o restante do ano. Ferreira conta com a melhora do ambiente econômico e com a liberação do saque do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para confirmar suas projeções.
O bom desempenho em julho teve reflexos na geração de empregos do setor calçadista, embora tímido. De acordo com o Ministério do Trabalho e Emprego, naquele mês, foram gerados 322 postos na indústria calçadista nacional. "O número em si não é tão alto, mas é importante, porque vem depois de três meses consecutivos de quedas, que acumularam a eliminação de mais de 8 mil postos de trabalho", ressalta Ferreira. Com o resultado de julho, o setor chegou a 276.994 postos gerados diretamente, número 3,5% menor do que o registrado no mesmo mês de 2018.
Além de comemorar os recentes resultados, nesta quinta-feira, a Abicalçados promoverá o evento Caminhos para a Indústria 4.0, apresentando casos relativos a esse conceito de maior automação e robotização. O encontro, que acontece na sede da entidade, em Novo Hamburgo, contará, ainda, com a apresentação da linha da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) Inovacred 4.0, que destinará mais de R$ 200 milhões em financiamentos para inovação com taxas reduzidas, partindo da TJLP (5,95% ao ano) à TJLP 1 (6,95% ao ano).
Comentários CORRIGIR TEXTO