Porto Alegre, domingo, 26 de julho de 2020.
Dia dos Avós.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 26 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado de capitais

- Publicada em 03h05min, 17/09/2019. Atualizada em 03h00min, 17/09/2019.

Dólar à vista registra leve aumento para R$ 4,0893

Depois de bater em R$ 4,10 na manhã desta segunda-feira (16), o dólar teve uma tarde tranquila, oscilando perto da estabilidade mesmo com o cenário internacional mais adverso, por conta dos ataques a instalações de petróleo na Arábia Saudita, que fez as cotações da commodity subirem quase 15%. Na expectativa por várias reuniões de política monetária de bancos centrais nos próximos dias e dos desdobramentos dos eventos no Oriente Médio, o mercado de câmbio teve uma segunda-feira de poucos negócios. A avaliação é que a alta do óleo não deve afetar por enquanto a redução dos juros aqui e lá fora. O dólar à vista fechou em leve alta de 0,07% a R$ 4,0893.
Depois de bater em R$ 4,10 na manhã desta segunda-feira (16), o dólar teve uma tarde tranquila, oscilando perto da estabilidade mesmo com o cenário internacional mais adverso, por conta dos ataques a instalações de petróleo na Arábia Saudita, que fez as cotações da commodity subirem quase 15%. Na expectativa por várias reuniões de política monetária de bancos centrais nos próximos dias e dos desdobramentos dos eventos no Oriente Médio, o mercado de câmbio teve uma segunda-feira de poucos negócios. A avaliação é que a alta do óleo não deve afetar por enquanto a redução dos juros aqui e lá fora. O dólar à vista fechou em leve alta de 0,07% a R$ 4,0893.
O dólar subiu em países desenvolvidos e ante a maioria dos emergentes. A exceção foi em regiões exportadoras de petróleo, como Canadá e Rússia, onde a moeda americana caiu. Operadores ressaltam que, pelo fato de o Brasil ser autossuficiente em petróleo, fica menos penalizado pelos eventos no Oriente Médio.
"O volume de negócios foi menor e o mercado deve ficar meio morno até quarta-feira", avalia o responsável pela área de câmbio da Terra Investimentos, Vanei Nagem. O Federal Reserve (Fed) inicia sua reunião nesta terça e termina no dia seguinte. Mesmo dia que acaba a reunião do Banco Central do Brasil. Além disso, ele ressalta que os agentes estão observando o que vai acontecer com o petróleo.
Para o Fed, os estrategistas do TD Bank esperam corte de 0,25 ponto e a sinalização de que este é um "corte de meio de ciclo" e não o início de um ciclo de reduções de juros, fator que pode acabar fortalecendo o dólar. Ao mesmo tempo, a avaliação é que o Fed vai manter as "portas abertas" para futuras reduções, mesmo após a alta do petróleo.
 
Comentários CORRIGIR TEXTO