Porto Alegre, domingo, 26 de julho de 2020.
Dia dos Avós.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 26 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

impostos

- Publicada em 03h01min, 13/09/2019. Atualizada em 03h00min, 13/09/2019.

Após demissão, Cintra reafirma defesa da CPMF

Ex-secretário disse que o imposto teve resultado excelente na Argentina

Ex-secretário disse que o imposto teve resultado excelente na Argentina


/VALTER CAMPANATO/AGÊNCIA BRASIL/JC
Um dia após ser exonerado do cargo de secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra afirmou nesta quinta-feira (12) que imposto semelhante à CPMF deu excelentes resultados na Argentina. Defensor da criação de um tributo sobre pagamentos aos moldes da extinta CPMF, Cintra foi demitido na quarta-feira (11) por determinação do presidente Jair Bolsonaro. O estopim para a saída foi o fato de subordinado do então secretário ter apresentado uma proposta do novo imposto sem autorização de Bolsonaro.
Um dia após ser exonerado do cargo de secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra afirmou nesta quinta-feira (12) que imposto semelhante à CPMF deu excelentes resultados na Argentina. Defensor da criação de um tributo sobre pagamentos aos moldes da extinta CPMF, Cintra foi demitido na quarta-feira (11) por determinação do presidente Jair Bolsonaro. O estopim para a saída foi o fato de subordinado do então secretário ter apresentado uma proposta do novo imposto sem autorização de Bolsonaro.
Nesta quinta-feira, Cintra usou o Twitter para responder uma publicação que afirmava que apenas cinco países possuem impostos como a CPMF: Venezuela, Argentina, República Dominicana, Peru e Sri Lanka. Ele inicia a publicação afirmando que a Hungria teve autorização do Banco Central Europeu e implementou o imposto em 2014. "Na Argentina é usado há 20 anos com alíquota de 1,2% com excelentes resultados", disse. Ele afirmou que países com tradição tributária consolidada não precisam de um imposto desse tipo.
 
Comentários CORRIGIR TEXTO