Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 12 de setembro de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

12/09/2019 - 08h10min. Alterada em 12/09 às 08h10min

Bolsas asiáticas fecham em alta, com alívio na tensão EUA-China e antes do BCE

Estadão Conteúdo
As bolsas asiáticas fecharam em alta nesta quinta-feira (12), após um novo sinal de alívio nas tensões comerciais entre Estados Unidos e China e à espera de novas medidas de estímulo na Europa.
As bolsas asiáticas fecharam em alta nesta quinta-feira (12), após um novo sinal de alívio nas tensões comerciais entre Estados Unidos e China e à espera de novas medidas de estímulo na Europa.
Nessa quarta à noite, o presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou no Twitter que vai adiar um aumento de tarifas sobre US$ 250 bilhões em produtos da China, de 1 para 15 de outubro, "como gesto de boa vontade" na disputa comercial entre os dois países. Segundo Trump, o adiamento foi pedido pelo vice-primeiro-ministro chinês Liu He, em razão da comemoração do 70º aniversário da fundação da República Popular da China, no próximo dia 1.
A decisão de Trump veio horas depois de a China anunciar que vai isentar 16 tipos de produtos dos EUA de tarifas extras por um ano, a partir do dia 17.
Nesta quinta-feira, o Ministério de Comércio chinês expressou satisfação com a iniciativa de Trump e disse que empresas chinesas começaram a fazer levantamentos de preços de bens agrícolas americanos para possivelmente retomar as compras desses produtos, que estão suspensas desde o mês passado, quando houve forte deterioração na relação comercial entre as duas maiores economias do mundo.
Principal índice acionário chinês, o Xangai Composto subiu 0,75% nesta quinta, a 3.031,24 pontos. Já o Shenzhen Composto, que é formado por empresas de menor valor de mercado, avançou 0,58%, a 1.681,23 pontos.
Investidores na Ásia também estão na expectativa para a decisão de política monetária do Banco Central Europeu (BCE) que será anunciada às 8h45min (de Brasília). A previsão é de que o BCE anuncie novas medidas para ajudar a impulsionar o crescimento econômico e a inflação da zona do euro.
Em outra partes da região asiática, o japonês Nikkei se valorizou 0,75% em Tóquio, a 21.759,61 pontos, com destaque para ações de fabricantes de eletrônicos e de máquinas industriais, e o Taiex registrou alta de 0,34% em Taiwan, a 10.827,55 pontos, mas o Hang Seng caiu 0,26% em Hong Kong, pressionado por papéis dos setores bancário e imobiliário. Na Coreia do Sul, não houve negócios hoje devido a um feriado nacional.
Na Oceania, a bolsa australiana ficou no azul pelo segundo dia consecutivo, encerrando os negócios no maior nível em cerca de seis semanas. O S&P/ASX 200 avançou 0,25% em Sydney, a 6.654,90 pontos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia