Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 11 de setembro de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

construção civil

Alterada em 11/09 às 13h42min

Vendas da indústria de material de construção crescem 2,8% em agosto, diz Abramat

No acumulado do ano até agosto, as vendas do setor cresceram 2,1%

No acumulado do ano até agosto, as vendas do setor cresceram 2,1%


ANTONIO PAZ/ARQUIVO/JC
Estadão Conteúdo
As vendas da indústria de materiais de construção no País cresceram 0,8% em agosto relação a julho e subiram 2,8% frente ao mesmo mês do ano anterior, de acordo com dados divulgados pela Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat), que já considera números deflacionados.
As vendas da indústria de materiais de construção no País cresceram 0,8% em agosto relação a julho e subiram 2,8% frente ao mesmo mês do ano anterior, de acordo com dados divulgados pela Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat), que já considera números deflacionados.
Em nota, a entidade destaca que no período foi apurado crescimento tanto em faturamento, quanto na oferta de empregos formais, além de confirmar um reaquecimento gradual, sendo "um sinal de continuidade do momento positivo para o setor no início do segundo semestre".
No acumulado do ano até agosto, as vendas do setor cresceram 2,1% ante o mesmo período do ano anterior.
Na comparação dos últimos 12 meses, a indústria de materiais de construção registra crescimento de 1,5%.
A pesquisa mostrou também que o emprego formal registrou um leve crescimento de 0,2% entre julho e agosto. Já no acumulado do ano se observa um crescimento acumulado de 0,6% na oferta de empregos em relação ao mesmo período de 2018. No balanço dos últimos 12 meses, a alta é de 1,2%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia