Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 09 de setembro de 2019.
Dia do Administrador e do Médico Veterinário.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

09/09/2019 - 10h15min. Alterada em 09/09 às 10h15min

Dólar segue viés externo e abre em baixa ante o real, com atenção focada na China

Estadão Conteúdo
O dólar abriu em baixa nos mercados à vista e futuro nesta segunda-feira (9) em linha com a tendência internacional, uma vez que a moeda apresenta tendência de queda entre a maioria das moedas de países emergentes nesta manhã. Lá fora, os investidores mais uma vez operam atentos ao desenrolar das relações entre Estados Unidos e China e dos números das respectivas economias.
O dólar abriu em baixa nos mercados à vista e futuro nesta segunda-feira (9) em linha com a tendência internacional, uma vez que a moeda apresenta tendência de queda entre a maioria das moedas de países emergentes nesta manhã. Lá fora, os investidores mais uma vez operam atentos ao desenrolar das relações entre Estados Unidos e China e dos números das respectivas economias.
O destaque da manhã é o dado mais fraco das exportações chinesas, que tiveram queda anual de 1% em agosto, ante previsão de alta de 3%. A desaceleração das vendas externas chinesas criou nos mercados a expectativa de que o gigante asiático adote novas medidas de estímulo econômico.
Às 10h, o dólar era negociado a R$ 4,0618 no mercado à vista, em baixa de 0,41%. No mercado futuro, a cotação da moeda americana estava em R$ 4,060, com recuo de 0,21%.
Os juros dos títulos do Tesouro americano operam em alta neste início de dia, num sinal de menor procura pelos papéis da dívida americana. As bolsas de Nova Iorque indicam abertura positiva, outro sinal de menor busca por ativos de proteção e maior apetite por risco. O Dollar Index (DXY), que mede a variação do dólar ante uma cesta de divisas fortes, mostrava leve baixa da moeda americana há pouco (-0,06%).
Entre as moedas fortes, destaque para a libra esterlina, que ampliou ganhos após o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, dizer que acredita ser possível fechar um acordo do Brexit com a União Europeia até 18 de outubro. A data final para o Brexit é 31 de outubro.
Na semana passada, o dólar à vista acumulou queda de 1,51%, marcando a primeira semana de baixa após sete consecutivas de alta. O cenário externo mais positivo foi a tônica desse desempenho. Na sexta-feira (6) o spot terminou em queda de 0,73%, a R$ 4,0801, a menor cotação em duas semanas. O boletim Focus desta semana mostrou que os economistas do mercado financeiro alteraram a projeção do dólar para o fim deste ano de R$ 3,85 para R$ 3,87. Para 2020, a previsão foi modificada de R$ 3,82 para R$ 3,85.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia