Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 22 de agosto de 2019.
Dia do Folclore.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Reforma da previdência

22/08/2019 - 13h01min. Alterada em 22/08 às 13h01min

Com reforma da Previdência, Brasil estará 'solvido fiscalmente', diz Onyx

Ministro fez afirmação durante evento do Grupo Voto

Ministro fez afirmação durante evento do Grupo Voto


VALTER CAMPANATO/AGÊNCIA BRASIL/DIVULGAÇÃO/JC
Estadão Conteúdo
O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse nesta quinta-feira (22) em evento do Grupo Voto que a reforma da Previdência, da forma como está, vai fazer com que o Brasil fique "solvido fiscalmente", com o pagamento das aposentadorias garantido. "Não haverá problema mesmo num sistema que, para o mundo atual, está equivocado, que é o de repartição", comentou.
O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse nesta quinta-feira (22) em evento do Grupo Voto que a reforma da Previdência, da forma como está, vai fazer com que o Brasil fique "solvido fiscalmente", com o pagamento das aposentadorias garantido. "Não haverá problema mesmo num sistema que, para o mundo atual, está equivocado, que é o de repartição", comentou.
Ele destacou ainda que a potência fiscal da reforma em 10 anos, prevista em quase R$ 1 trilhão, será dobrada do 11º ao 20º ano.
O ministro reforçou ainda que o programa de privatizações e concessões do governo brasileiro é o maior do mundo e destacou que o governo está "abrindo os braços, através do PPI (Programa de Parcerias e Investimentos), para receber investimentos internacionais".
Onyx completou ainda que o País só é nacionalista para "os fins". "O que nos interessa se o dono da fabrica é xing ling, é Schneider ou Lorenzoni? O que nos interessa é que brasileiro trabalhe, tenha emprego e o País prospere", disse.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia