Porto Alegre, domingo, 26 de julho de 2020.
Dia dos Avós.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 26 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Varejo

- Publicada em 22h38min, 20/08/2019. Atualizada em 13h13min, 21/08/2019.

Discursos de abertura da 38ª Expoagas reforçam reivindicações do setor

Com a medida, preço dos medicamentos deve cair 35%, disse Longo

Com a medida, preço dos medicamentos deve cair 35%, disse Longo


/LUIZA PRADO/JC
Adriana Lampert
A reivindicação de que seja liberada a venda de medicamentos isentos de prescrição (MIPs) - a exemplo de antialérgicos e antigripais - em gôndolas de supermercados marcou os discursos de abertura da 38ª edição da Expoagas, feira de negócios promovida pela Associação Gaúcha de Supermercados (Agas). Com estimativa de movimentar R$ 520 milhões em negócios e receber 48 mil visitantes até o dia 22 de agosto, o evento conta com mais de 800 lançamentos de produtos, palestras, visitas técnicas, oficinas e seminários.
A reivindicação de que seja liberada a venda de medicamentos isentos de prescrição (MIPs) - a exemplo de antialérgicos e antigripais - em gôndolas de supermercados marcou os discursos de abertura da 38ª edição da Expoagas, feira de negócios promovida pela Associação Gaúcha de Supermercados (Agas). Com estimativa de movimentar R$ 520 milhões em negócios e receber 48 mil visitantes até o dia 22 de agosto, o evento conta com mais de 800 lançamentos de produtos, palestras, visitas técnicas, oficinas e seminários.
A cerimônia na manhã desta terça-feira reuniu representantes do setor varejista de 27 estados brasileiros no Teatro do Sesi. Já a feira conta com 372 expositores de 11 países, e grande parte do interior do Estado. O presidente da entidade, Antônio Cesa Longo, argumentou que a venda de remédios isentos de prescrição no varejo supermercadista deve beneficiar o bolso dos consumidores, uma vez que provocará a queda de 35% dos preços dos remédios.
"Não faz sentido ser proibida (a comercialização) nos supermercados, já que estes pontos de venda são os que têm maior abrangência da população, e as farmácias estão mais concentradas em volta de centros clínicos e hospitais", defendeu o dirigente.
Notícias sobre economia são importantes para você?
Longo quebrou o protocolo da cerimônia para entregar o título de Supermercadista Honorário Agas ao deputado Jerônimo Goergen, relator da Medida Provisória da Liberdade Econômica (MP 881/19), que precisava sair mais cedo para viajar a Brasília. Recentemente, o parlamentar retirou do texto da MP a questão da venda de MIPs em supermercados, para que o assunto seja discutido em projeto específico.
"Defendemos intransigentemente a liberdade econômica e o fim da intervenção do governo em questões concorrenciais", justificou o dirigente. "Não entendemos porque uma farmácia pode comercializar esses medicamentos sem necessidade de receita médica, através de televendas ou internet, sendo que o farmacêutico não acompanha o entregador na moto, e os supermercados não detêm essa liberação."
O presidente da Agas destacou que situações como essa precisam ser "revistas" para que acabem as "reservas de mercado em nome do corporativismo e do benefício incompreensível" de alguns setores. O presidente da Abras, presidente da Associação Brasileira de Varejo (Abras), João Sanzovo Neto, aproveitou para lembrar que a venda de MIPs "já fez parte do dia a dia dos supermercados" no passado. Sobre a demanda atual, reforçou que parte "do próprio consumidor, que tem priorizado cada vez mais a conveniência e a comodidade na hora da compra".
Já o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn, apontou conquistas como a reforma trabalhista, que, "ainda que insuficiente, modernizou de maneira significativa as relações de trabalho", e ressaltou que os empresários esperam que seja proposta emenda constitucional, incluindo estados e municípios nas novas regras da Previdência.

Supermercadistas cresceram 2,64% no primeiro semestre do ano

Presidente da Cooperativa Santa Clara, Rogério Bruno Sauthier, (c) recebeu a Medalha Don Charles Bird
Presidente da Cooperativa Santa Clara, Rogério Bruno Sauthier, (c) recebeu a Medalha Don Charles Bird
LUIZA PRADO/JC

Ao destacar números do setor em todo o País, o presidente da Associação Brasileira de Varejo (Abras), João Sanzovo Neto, afirmou que a recente aprovação da MP da Liberdade Econômica na Câmara irá remover "obstáculos burocráticos e simplificar procedimentos de captação de recursos no mercado". "Estamos no caminho certo: crescemos 2,64% frente ao primeiro semestre de 2018, o melhor resultado para o período nos últimos seis anos."

O dirigente destacou "a dedicação" de diversos parlamentares no processo de aprovação da reforma da Previdência, que deverá "destravar" a economia e "contribuir para a competitividade do País". "Também a reforma tributária que está em discussão no Congresso Nacional necessita, e muito, da nossa mobilização", convocou Sanzovo Neto, afirmando que a Abras irá se empenhar em elaborar em conjunto uma proposta que atenda às necessidades do setor.

Cada vez mais multissetorial, a Expoagas 2019 oferece novidades para os setores do comércio, como hotéis, bares, restaurantes, farmácias e lojas de bazar e R$ 1,99, e produtores rurais. A principal novidade desta edição é o reposicionamento dos espaços Premium e Circuito de Negócios, criados no ano passado e que integram novos expositores ao evento.

Na cerimônia de abertura da 38ª Expoagas, nesta terça-feira, no Centro de Eventos da Fiergs, foi entregue a Medalha Don Charles Bird - que leva o nome do primeiro presidente da associação - ao presidente da Cooperativa Santa Clara, Rogério Bruno Sauthier. "O cooperativismo é o modelo perfeito para nosso setor, e queremos saudar o exemplo de Rogério Sauthier, que se mostra um líder muito à frente do seu tempo, tendo desenvolvido os pilares do associativismo para incentivar o crescimento dos cooperados", sublinhou Longo.

Comentários CORRIGIR TEXTO