Porto Alegre, domingo, 26 de julho de 2020.
Dia dos Avós.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 26 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado financeiro

- Publicada em 13h46min, 20/08/2019. Atualizada em 13h46min, 20/08/2019.

Bolsas da Europa fecham em queda com incertezas e política da Itália no radar

Os mercados acionários europeus encerraram o pregão desta terça-feira (20), em queda, diante das incertezas em relação à economia global e do continente. As bolsas chegaram a reduzir suas perdas após o primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, anunciar o fim da coalizão governista e dizer que irá renunciar ao cargo, sem força, contudo, para fecharem no positivo.
Os mercados acionários europeus encerraram o pregão desta terça-feira (20), em queda, diante das incertezas em relação à economia global e do continente. As bolsas chegaram a reduzir suas perdas após o primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, anunciar o fim da coalizão governista e dizer que irá renunciar ao cargo, sem força, contudo, para fecharem no positivo.
Investidores ainda monitoram medidas de estímulos por parte de grandes bancos centrais, como da China e da Alemanha. Diante do cenário, o índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em queda de 0,62%, aos 370,80 pontos.
As incertezas na Europa seguem crescendo. "Tanto os desenvolvimentos políticos quanto os indicadores econômicos sugerem que a Europa caminha para águas tempestuosas", diz um relatório da IHS Markit enviado a clientes.
Na Itália, em discurso no Senado, Conte declarou que irá entregar sua renúncia ao presidente da Itália, Sergio Mattarella, em meio à votação da moção de repúdio protocolada pela Liga, partido do vice-premiê Matteo Salvini. O primeiro-ministro do país declarou o fim da coalizão governista entre a Liga e o Movimento 5 Estrelas (M5S) e disse que Salvini se rendeu a interesses pessoais e partidários.
A notícia da saída de Conte chegou a reduzir as perdas nas bolsas europeias, com a interpretação de que um novo primeiro-ministro deve ter postura menos eurocética. O índice FTSE MIB, da Bolsa de Milão, encerrou em queda de 1,11%, aos 20.485,43 pontos, com perdas do setor financeiro, em meio aos recuos dos juros do título público local de dez anos. O Intesa Sanpaolo caiu 0,56% e Banco BPM, 2,56%.
Sinais de estímulos econômicos na China e na Alemanha tampouco foram suficientes para conter as quedas. Na segunda-feira, o país asiático estabeleceu uma taxa de juros de referência menor do que a anterior, favorecendo a tomada de empréstimo, enquanto o ministro de Finanças alemão, Olaf Scholz, sugeriu no fim de semana a possibilidade de injetar bilhões de euros na economia do país.
O índice DAX, da Bolsa de Frankfurt, caiu 0,55%, aos 11.651,18 pontos, com o Deutsche Bank cedendo 0,49%. Em Paris, o índice CAC 40 perdeu 0,50%, aos 5.344,64 pontos.
Outro importante banco europeu, o Barclays, recuou 1,51% na Bolsa de Londres, onde o índice FTSE 100 fechou em queda de 0,90%, aos 7.125,00. Investidores monitoram o desenrolar do Brexit, enquanto o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, deve se encontrar com o presidente da França, Emmanuel Macron, na quinta, para negociar a questão.
O índice Ibex 35, da Bolsa de Madri, caiu 1,32%, aos 8.618,30 pontos, a mínima do dia, enquanto o PSI 20, da Bolsa de Lisboa, cedeu 0,63%, aos 4.820,95 pontos.
Comentários CORRIGIR TEXTO