Porto Alegre, domingo, 26 de julho de 2020.
Dia dos Avós.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 26 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

conjuntura

- Publicada em 11h16min, 20/08/2019. Atualizada em 11h16min, 20/08/2019.

Confiança do Empresário Industrial sobe pelo 3º mês e vai a 59,4 pontos em agosto

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei) teve alta de 2,0 pontos em agosto ante julho e atingiu 59,4 pontos, segundo pesquisa divulgada nesta terça-feira (20) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Esse é o terceiro aumento consecutivo do indicador, após uma sequência de queda na confiança desde fevereiro deste ano.
O Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei) teve alta de 2,0 pontos em agosto ante julho e atingiu 59,4 pontos, segundo pesquisa divulgada nesta terça-feira (20) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Esse é o terceiro aumento consecutivo do indicador, após uma sequência de queda na confiança desde fevereiro deste ano.
Nos últimos três meses, o Icei acumula alta de 2,9 pontos. Os indicadores da pesquisa da CNI variam de zero a 100 pontos. Quando estão acima de 50 pontos, eles indicam que os empresários estão confiantes.
"Com a sequência de altas, o índice volta ao patamar acima do registrado em abril deste ano, mas ainda fica abaixo dos mais de 60 pontos registrados entre novembro de 2018 e março de 2019", pontuou a CNI. "Portanto, a confiança segue elevada. O índice encontra-se 4,9 pontos acima de sua média histórica e 6,1 pontos acima do registrado em agosto de 2018."
A confederação registrou ainda que a elevação do Icei em agosto "ocorreu tanto devido ao aumento do otimismo em relação aos próximos seis meses quanto a uma percepção de melhora nas condições correntes dos negócios por parte dos empresários".
O Índice de Condições Atuais - um dos dois componentes do Icei - subiu 4,1 pontos em agosto ante julho, para 51,1 pontos. A avaliação sobre as condições relacionadas à Economia Brasileira subiu 5,3 pontos, para 50,7 pontos. Já a percepção sobre a Empresa avançou 3,4 pontos, para 51,2 pontos.
No caso do segundo componente do Icei, o Índice de Expectativas, houve alta de 1,5 ponto, para 63,6 pontos. A expectativa quanto à Economia Brasileira avançou 2,6 pontos, para 62,2 pontos, enquanto a relacionada à Empresa teve alta de 0,9 ponto, para 64,3 pontos.
Considerando o porte das companhias, o Icei relacionado às pequenas empresas atingiu 58,8 pontos em agosto. No caso das médias empresas, ele foi de 59,5 pontos e, entre as grandes, de 59,7 pontos.
Comentários CORRIGIR TEXTO