Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 14 de agosto de 2019.
Dia do Controle de Poluição Industrial.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Gestão

Edição impressa de 14/08/2019. Alterada em 14/08 às 03h00min

Remuneração de executivos deve ser informada até dia 23

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) divulgou, nesta terça-feira, um ofício circular convocando as companhias abertas que ainda não divulgaram as informações referentes à remuneração mínima, média e máxima de sua diretoria, conselhos de administração e fiscal a incluírem os dados no item 13.11 do Formulário de Referência. O comunicado vem na esteira de uma recente decisão da Justiça em favor da autarquia, revertendo um recurso que na prática suspendia a obrigatoriedade da divulgação.
A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) divulgou, nesta terça-feira, um ofício circular convocando as companhias abertas que ainda não divulgaram as informações referentes à remuneração mínima, média e máxima de sua diretoria, conselhos de administração e fiscal a incluírem os dados no item 13.11 do Formulário de Referência. O comunicado vem na esteira de uma recente decisão da Justiça em favor da autarquia, revertendo um recurso que na prática suspendia a obrigatoriedade da divulgação.
Prevista na Instrução CVM nº 480/09, a exigência é contestada pelo Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças do Rio de Janeiro (Ibef Rio), desde 2010. O Formulário de Referência compila uma série de informações exigidas pelo órgão regulador e deve ser entregue anualmente até maio. A CVM estabeleceu um prazo para reapresentação do documento até 23 de agosto. O descumprimento pode levar à apuração de responsabilidades das empresas em falta.
A batalha judicial entre a CVM e o Ibef se arrasta há nove anos, quando a entidade obteve a primeira liminar. O instituto alega que a publicação da remuneração máxima e mínima dos administradores viola a privacidade de seus executivos e põe em risco sua segurança. Já a CVM acredita que essa informação é importante para dar subsídios que permitam ao acionista avaliar e fiscalizar o desempenho da companhia aberta.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia