Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 29 de agosto de 2019.
Dia Nacional do Combate ao Fumo.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

bancos

24/07/2019 - 13h05min. Alterada em 29/08 às 11h13min

Liminar da Justiça suspende venda de ações do Banrisul

Estado fica sujeito a pagamento de multa de R$ 300 milhões em caso de descumprimento da determinação

Estado fica sujeito a pagamento de multa de R$ 300 milhões em caso de descumprimento da determinação


CLAITON DORNELLES/JC
Atualizada às 16h.
Atualizada às 16h.
Uma liminar da Justiça suspendeu, nesta quarta-feira (24), a venda de ações do Banrisul pelo governo gaúcho. A decisão, em caráter provisório, atende à ação movida pelo ex-presidente do banco e administrador Mateus Bandeira, candidato ao Piratini em 2018. O Estado fica sujeito a pagamento de multa de R$ 300 milhões em caso de descumprimento da determinação.
A decisão pede que seja comprovada a viabilidade das negociações por parte do Estado, bem como a razoabilidade dos valores esperados pela venda. No despacho, a Justiça ainda negou o pedido de sigilo ao processo, requerido pelo governo.
A ação popular alegava prejuízos irrecuperáveis ao patrimônio público em caso de nova venda das ações, como era intenção do governo de Eduardo Leite. Em entrevista ao Jornal do Comércio, Bandeira afirmou que, com a negociação, o governo gaúcho estaria abrindo mão de ao menos R$ 3 bilhões para antecipar cerca de R$ 2,5 bilhões. 
"O governo diz que o Banrisul vale R$ 10 bilhões. Se vender cerca de 100 milhões de ações das cerca de 200 milhões com direito a voto que possui, pelas cotações atuais, renderia pouco mais R$ 2 bilhões. Mas, pelos cálculos do próprio governo, metade do banco valeria R$ 5 bilhões", argumentou.
Em nota divulgada após a decisão, o governo do Estado informou que "recebe com tranquilidade a decisão" e está avaliando as medidas a serem tomadas. O texto do Executivo estadual ainda esclarece que a decisão não suspende o procedimento, mas "vincula a venda das ações à apresentação e deliberação prévia de estudo de viabilidade", cujas informações deverão ser prestadas para "evidenciar a regularidade do procedimento".
O governo de José Ivo Sartório (MDB) fez duas operações de venda de papéis do banco em 2018. Em 10 de abril, foram vendidas 26 milhões de ações preferenciais a R$ 18,65 por ação. Em 27 de abril, foram vendidas 2,9 milhões de ações ordinárias a R$ 17,65 por ação. Nestas duas operações foram arrecadados um total de R$ 536,1 milhões.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia