Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 02 de agosto de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Tecnologia

02/08/2019 - 18h05min. Alterada em 02/08 às 18h36min

Startup promete acelerar resultados de postos com programa de fidelidade personalizado

Clientes podem trocar produtos no app do ClubPetro, enquanto revendedores aprimoram sua gestão

Clientes podem trocar produtos no app do ClubPetro, enquanto revendedores aprimoram sua gestão


MARCO QUINTANA/JC
Matheus Closs
Uma startup mineira tem buscado auxiliar revendedores de combustível a alavancarem seus negócios por meio de um programa de fidelidade personalizado. Com mais de 700 postos parceiros no País, e recém-chegada ao Rio Grande do Sul, a ClubPetro atua com um projeto comercial baseado em três frentes: inteligência comercial para os postos, projeto de fidelidade para os clientes que vão abastecer e gestão de metas para aumentar a produtividade dos frentistas.
Uma startup mineira tem buscado auxiliar revendedores de combustível a alavancarem seus negócios por meio de um programa de fidelidade personalizado. Com mais de 700 postos parceiros no País, e recém-chegada ao Rio Grande do Sul, a ClubPetro atua com um projeto comercial baseado em três frentes: inteligência comercial para os postos, projeto de fidelidade para os clientes que vão abastecer e gestão de metas para aumentar a produtividade dos frentistas.
A empresa promete um crescimento, em três meses, de até 20% nas vendas dos postos que adotam o sistema, o que é feito principalmente por meio de um programa que prevê a conversão do número de litros abastecidos em pontos. O cliente pode acompanhar seu número de pontos por meio de um aplicativo para Android e IOS e, mais tarde, pode trocá-los pontos por prêmios disponíveis nos próprios postos.
Atualmente, a startup possui 17 postos parceiros no Rio Grande do Sul e quer, até o fim do ano, alcançar os 40 no Estado e os cerca de mil no País. Em Porto Alegre, o único cliente é o Posto Cavalhada (Av. Cavalhada, 3833), que há cerca de um ano implantou o sistema de fidelidade.
O diretor de operações do ClubPetro, Breno Pires, aponta que aproximação da startup com os postos pode partir tanto dos clientes, através do contato pelo site da empresa, como pelo trabalho de busca ativa do ClubPetro. Embora a prioridade seja postos do interior, os clientes não precisam ser necessariamente de "bandeira branca". Atualmente, 60% dos parceiros do ClubPetro são bandeirados, segundo Pires - mesmo vinculados a alguma rede, a startup reforça a ideia de "implantar a marca local do posto", o que estreita a relação com o cliente.
Pires ainda afirma que conhecia as necessidades do setor por ter trabalhado, anteriormente, com revenda de combustível. Segundo ele, toda a implantação do sistema, que leva até 45 dias, é realizada junto ao revendedor, para atender às necessidades de cada posto parceiro. Além do programa de fidelidade, a empresa ainda disponibiliza ferramentas úteis para analisar o mercado, como um mapa de calor que mede a origem do volume de clientes da cidade.
O uso destas ferramentas e da criação de campanhas pontuais é facilitado pelo acesso ao banco de clientes cadastrados. Com isso, os postos conseguem, por exemplo, recuperar consumidores que estejam há mais de 30 dias inativos através de campanhas por mensagens. Pires afirma que este é o diferencial do programa do ClubPetro frente a outros sistema de fidelidade de grandes redes, uma vez que o dono do posto tem acesso ao banco de dados de clientes cadastrados.
“Muitas vezes os programas das distribuidoras oferecem benefícios nos grandes centros, como desconto para ingresso de futebol. O nosso como acaba facilitando que o cliente troque seus pontos rapidamente. A gente foca em produtos mais baratos e disponíveis no próprio posto”, explica Pires. "Um cliente fiel tem um ticket médio [do programa de fidelidade] até 50% maior e retorna para o posto até 70% mais vezes durante o mês. Então, em vez de duas, ele vai quatro vezes ao posto em um mês", defende.
Posto da Capital que adotou sistema tem 7 mil clientes cadastrados
Atualmente, a média mensal de clientes fidelizados do Posto Cavalhada é de cerca de 65%. Com cerca de 750 abastecimentos por dia e uma base de dados de 6 a 7 mil clientes cadastrados, o proprietário viu o volume de vendas de combustível crescer entre 10 e 20% no último ano.
“Em um segmento que trabalha com placa de preço, você tem que ter uma coisa a mais. O ClubPetro tem todo um gerenciamento que interliga com o software da empresa. Então tem uma qualidade de informações muito grande e uma serie de práticas que evitam mau uso e percas”, afirma o proprietário do posto, André Wahrlich.
Segundo Wahrlich, o primeiro objetivo é a troca por serviços e produtos do próprio posto. A cada litro abastecido, o cliente ganha um ponto. Com 15 pontos, o cliente já troca por um cafezinho na loja de conveniência. Com 95, pode trocar por um litro de combustível. Entre os prêmios adquiridos junto a fornecedores e trocados no posto estão ainda cadeira de praia, guarda-sol, kit churrasco, cuia para chimarrão e brinquedos.
Entretanto, o proprietário enxerga que os clientes da metrópole não são tão sensíveis ao local de abastecimento. “O cliente é fidelizado enquanto o preço é competitivo”, analisa Wahrlich. Ainda assim, ele aponta que o programa de fidelidade ajuda, na sua visão, a aumentar essa competitividade. “Temos entre 10% a 20% de clientes que optam pelo nosso posto mesmo que a gasolina esteja um ou dois centavos mais cara”, completa.
O Posto Cavalhada também implementou o sistema de metas para os frentistas, seguindo estratégia do ClubPetro. Conforme Wahrlich, o desempenho individual é medido e a equipe é premiada de acordo com a venda de gasolina aditivada e por cadastros no programa de fidelidade. “Sem o engajamento da equipe não se consegue manter o sistema. Eles percebem a importância de alcançar as metas e o que isso traz de retorno”, reitera o proprietário.
A aproximação da startup com os postos pode partir tanto dos clientes, através do contato pelo site da empresa, como pelo trabalho de busca ativa do ClubPetro. Embora a prioridade seja postos do interior, os clientes não precisam ser necessariamente de "bandeira branca". Atualmente, 60% dos parceiros do ClubPetro são bandeirados, segundo Breno Pires - mesmo vinculados a alguma rede, a startup reforça a ideia de "implantar a marca local do posto", o que estreita a relação com o cliente.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia