Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 23 de julho de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Tecnologia

Edição impressa de 23/07/2019. Alterada em 23/07 às 03h00min

Whatsapp vira estratégia para o sistema financeiro

Hackers podem acessar as informações recebidas pelos aplicativos

Hackers podem acessar as informações recebidas pelos aplicativos


PATRÍCIA COMUNELLO /PATRÍCIA COMUNELLO/ESPECIAL/JC
Depois da consolidação das redes sociais como uma espécie de canal não oficial de serviço de atendimento ao consumidor (SAC), as instituições financeiras do País começam a incluir aplicativos de troca de mensagens em suas ferramentas de comunicação. O queridinho da vez é o WhatsApp, que pertence ao Facebook e tem 120 milhões de usuários no Brasil. Os bancos trabalham para, em um futuro bem próximo, usar esses instrumentos não apenas como canais de relacionamento, mas para a realização de operações financeiras concretas, como transferência de recursos.
Depois da consolidação das redes sociais como uma espécie de canal não oficial de serviço de atendimento ao consumidor (SAC), as instituições financeiras do País começam a incluir aplicativos de troca de mensagens em suas ferramentas de comunicação. O queridinho da vez é o WhatsApp, que pertence ao Facebook e tem 120 milhões de usuários no Brasil. Os bancos trabalham para, em um futuro bem próximo, usar esses instrumentos não apenas como canais de relacionamento, mas para a realização de operações financeiras concretas, como transferência de recursos.
Consultas de saldo e assessoria financeira com os gerentes são operações que já estão se expandindo. O próximo passo será fazer transferência de dinheiro entre contas pela ferramenta. O WhatsApp informou, no entanto, que ainda não há previsão para que esse tipo de serviço chegue ao Brasil. "Há um ano, lançamos nossos serviços por WhatsApp, em que é possível receber saldo, extrato e conversar com o gerente de forma monitorada, conta Marcelo Frontini, diretor de canais digitais do Bradesco.
Para garantir segurança das informações no atendimento via WhatsApp dos bancos, o cliente deve cadastrar na instituição o número que pretende usar. O banco, então, envia um código de segurança via SMS para confirmar. Além disso, os bancos usam uma versão do aplicativo para empresas, em que a segurança é maior., com mensagens criptografadas.
Mesmo assim, dizem os especialistas, o risco do golpe da clonagem existe. "O usuário tem de ter os mesmos cuidados que nos outros canais de relacionamento com o banco. Mas a responsabilidade pela segurança é dos bancos e do próprio WhatsApp ao oferecer esse tipo de serviço", afirma o economista João Augusto Salles, especialista em bancos.
No Itaú Unibanco, é possível desbloquear o teclado do aplicativo para que ele apareça quando o cliente estiver no WhatsApp ou no Messenger. No Banco do Brasil, já é possível pagar o IPVA em alguns estados, além de desbloquear cartões e obter saldos e extratos. E, desde dezembro, o WhatsApp é usado em operações de saque: é gerado um código de autorização, a ser digitado pelo cliente em um caixa eletrônico. Já a Caixa iniciou um projeto para oferecer informações pelo WhatsApp para quem tem financiamento habitacional, além de emitir segunda via do boleto do Fies, financiamento estudantil.

Ferramenta ajuda a acompanhar pedido de cidadania

Conseguir o tão almejado passaporte italiano é o sonho de muitos descendentes, porém, o processo é burocrático e demorado, podendo chegar a uma década de espera. Com o objetivo de auxiliar esses indivíduos a reconhecerem os direitos de seus antepassados de maneira rápida e transparente, a Cidadania4u (www.cidadania4u.com.br) criou uma plataforma e um aplicativo. Neles, as pessoas podem acompanhar todo o andamento do processo de requerimento de maneira transparente em um ambiente 100% on-line.
Por meio do portal do cliente e do app da Cidadania4u, o usuário tem acesso a todas as etapas do pedido e pode visualizar o que está sendo feito em cada uma delas. "Ver cada alerta de certidão ou documento encontrado é um estímulo para o descendente não desistir, segundo o especialista", afirma o sócio-fundador do negócio, Rafael Gianesini.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia