Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 02 de julho de 2019.
Dia do Bombeiro Brasileiro.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Trabalho

01/07/2019 - 18h28min. Alterada em 02/07 às 08h25min

'Nos preparamos para um Brasil que não veio', diz gerente sobre fábrica fechada da Duratex

Representante da Duratex (esquerda) disse ao prefeito que a decisão é irreversível

Representante da Duratex (esquerda) disse ao prefeito que a decisão é irreversível


PREFEITURA DE SÃO LEOPOLDO/DIVULGAÇÃO/JC
“Nos preparamos para um Brasil que não veio.” Foi assim que o gerente industrial da Duratex S.A, Eduardo Donizete Carobeli, justificou o fechamento da fábrica de louças da marca Deca em São Leopoldo nesta segunda-feira (1). A desativação pegou de surpresa quase 500 empregados, que receberam aviso de demissão ao chegar para mais um dia de trabalho. A unidade é uma das que mais gerava empregos na cidade.
“Nos preparamos para um Brasil que não veio.” Foi assim que o gerente industrial da Duratex S.A, Eduardo Donizete Carobeli, justificou o fechamento da fábrica de louças da marca Deca em São Leopoldo nesta segunda-feira (1). A desativação pegou de surpresa quase 500 empregados, que receberam aviso de demissão ao chegar para mais um dia de trabalho. A unidade é uma das que mais gerava empregos na cidade.
O governador do Estado, Eduardo Leite, comentou a desativação durante almoço com jornalistas no Palácio Piratini, apontando os efeitos negativos para a economia gaúcha.
Carobeli deu a declaração em audiência com o prefeito de São Leopoldo Ary Vanazzi, durante a tarde na sede do Executivo. O encontro foi pedido pelo gerente, "para esclarecer os motivos que levaram ao encerramento das atividades e à demissão de aproximadamente 500 funcionários em São Leopoldo".
O executivo da Eucatex alegou a alta do preço do óleo diesel, questão tributária do Rio Grande do Sul e queda na atividade da construção civil como fatores para fechar a fábrica e disse que foi uma decisão recente. Em nota, a Duratex disse que a medida faz parte da consolidação industrial e serve para manter a competitividade no segmento. A decisão é irreversível, preveniu o gerente.
Leite reagiu ao fechamento das fábricas da Duratex e ainda da Nestlé, em Palmeira das Missões, também confirmada nesta segunda, dizendo que "não colabora para a nossa pauta de desenvolvimento do Estado". Leite disse que precisava ter mais detalhes sobre as razões das desativações e considerou que a recuperação da economia no País está sendo "muito lenta, beirando a estagnação".
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia