Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 27 de junho de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

consumo

Alterada em 27/06 às 17h30min

América Latina amplia taxas de instalação de apps de compras, segundo Liftoff

E-commerces latino-americanos tendem a gastar o R$ 100 reais na aquisição de um usuário

E-commerces latino-americanos tendem a gastar o R$ 100 reais na aquisição de um usuário


NELSON ALMEIDA /AFP/JC
A Liftoff lançou, nesta quinta-feira (27), sua terceira pesquisa anual sobre o mercado de comércio por aplicativos, o Relatório dos Apps Móveis de Compras. O relatório revela as principais tendências de comportamento de compras em dispositivos móveis, sugerindo a ascensão do Mobile Window Shopping (tendência em olhar as lojas virtuais como se fossem vitrines de lojas físicas) na América Latina, na Ásia-Pacífico e na América do Norte. O resultado mostra que os latino americanos se destacam por ter as maiores taxas de registros em aplicativos de compras - 56% dos usuários.
A Liftoff lançou, nesta quinta-feira (27), sua terceira pesquisa anual sobre o mercado de comércio por aplicativos, o Relatório dos Apps Móveis de Compras. O relatório revela as principais tendências de comportamento de compras em dispositivos móveis, sugerindo a ascensão do Mobile Window Shopping (tendência em olhar as lojas virtuais como se fossem vitrines de lojas físicas) na América Latina, na Ásia-Pacífico e na América do Norte. O resultado mostra que os latino americanos se destacam por ter as maiores taxas de registros em aplicativos de compras - 56% dos usuários.
Em 2019, as taxas de conversão para atrair um usuário para algum app gira em torno de US$ 30 a US$ 45 ao longo do ano, o que indica uma queda de mais de 30% se comparado ao mesmo período de 2018. Um dos motivos é que os consumidores se sentem mais confortáveis as compras via dispositivos móveis.
Embora os usuários instalem e façam cadastro nos apps de varejo, o relatório mostra uma queda considerável na etapa posterior mais importante: a de compras. O custo por primeira compra na América Latina é de US$ 26,60, com uma taxa de conversão de 11,5%. Ou seja, pouco mais de um décimo das pessoas cadastradas nos aplicativos finaliza uma compra.
No Brasil, em março de 2019, 61% dos usuários acessou sites de compras por meio de smartphones, segundo pesquisa do eMarketer. Mais uma taxa de 12% no crescimento do e-commerce, em 2018.
Com um número crescente de gigantes varejistas estabelecendo suas próprias datas para promoções sazonais, sem ter de esperar pelo Natal ou Dia das Mães. "Nossos dados mostram que os consumidores gastam continuamente o ano todo, sugerindo que a tradicional temporada de compras de Natal não é mais decisiva para uma marca como era no passado. Profissionais de marketing podem integrar aplicativos de compras a uma estratégia maior de comunicação, com ofertas exclusivas por meio de aplicativo para atraírem os consumidores a entrarem nas lojas online, ou oferecerem promoções de tempo limitado, para incentivar as compras no aplicativo", explica o co-fundador e CEO da Liftoff, Mark Ellis.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia