Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 17 de junho de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

agronegócios

Edição impressa de 17/06/2019. Alterada em 17/06 às 03h00min

Citros orgânicos da Ecocitrus ganham mercado internacional

Cooperativa atende demanda do setor externo para processados

Cooperativa atende demanda do setor externo para processados


/MARCELO G. RIBEIRO/JC

Desde de 2010, a Ecocitrus exporta óleos essenciais e sucos, oriundos da produção de bergamotas, laranjas e mandarinas, para o mercado europeu. E mais recentemente, fechou negócios com Estados Unidos e Canadá. Esse boom de exportações, iniciado há menos de 10 anos, aconteceu após a virada estratégica da cooperativa, que antes produzia produtos in natura, e agora processa todos os frutos.

Segundo o presidente da Ecocitrus, Maique Kochenborger, era muito difícil o armazenamento da fruta de mesa orgânica - gerava muita perda quando chegava no destino. "Vimos também um movimento de mercado em direção dos óleos e sucos", diz Kochenborger. Com isso, a empresa exporta cerca de 550 mil quilos por ano para os mercados franceses, holandês, alemão, norte-americano e canadense. A França é a principal compradora dos óleos, usado na indústria de cosméticos, enquanto a maior parcela dos sucos vai para a Alemanha. O valor das exportações passa dos US$ 2 milhões.

De acordo com Kochenborger, cada cooperado ganha cerca
R$ 0,55 por quilo de citro ou cerca de R$ 14,00 por caixa de 25 quilos.

CORRIGIR