Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 14 de junho de 2019.
Dia Mundial do Doador de Sangue.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

governo federal

14/06/2019 - 12h10min. Alterada em 14/06 às 12h10min

Bolsonaro diz que vai demitir presidente dos Correios

'Ele se comporta como um sindicalista', disse o presidente em café da manhã com jornalistas

'Ele se comporta como um sindicalista', disse o presidente em café da manhã com jornalistas


Marcos Corrêa/PR/JC
Agência Brasil
O presidente Jair Bolsonaro disse nesta sexta-feira (14), em café da manhã com jornalistas, no Palácio do Planalto, que o presidente dos Correios, Juarez Aparecido Paula Cunha, será demitido do cargo. Na semana passada, em audiência pública na Comissão de Legislação Participativa Câmara dos Deputados, o chefe dos Correios criticou a entrega da empresa para a iniciativa privada. 
"Ele se comporta como um sindicalista", disse Bolsonaro. O presidente da República também criticou o fato de Juarez Aparecido ter tirado fotos com parlamentares de oposição e sindicalistas durante a audiência.
Em abril, Bolsonaro já havia autorizado estudos para a desestatização da companhia e voltou a dizer que o tema ganhou força no governo na semana passada, em uma publicação no Twitter.
Com 356 anos de existência, a empresa é subordinada hoje ao Ministério das Comunicações, Ciência, Tecnologia e Inovação. Após prejuízos registrados entre 2013 e 2016, a estatal registrou lucro de R$ 161 milhões em 2018 e de R$ 667,3 milhões em 2017.
CORRIGIR