Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 10 de junho de 2019.
Dia da Língua Portuguesa.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

Tecnologia

Edição impressa de 10/06/2019. Alterada em 09/06 às 22h13min

App POA na Rua tem mais de 15 mil usuários

Fraga e Thiana contam que o negócio começou de forma despretensiosa

Fraga e Thiana contam que o negócio começou de forma despretensiosa


/POA NA RUA/DIVULGAÇÃO/JC
Patricia Knebel
Feiras, bares, museus, exposições, peças de teatro, shows e workshops são algumas das experiências que acontecem nos quatro cantos de Porto Alegre e que estão mapeadas no POA na Rua, o aplicativo que já é uma espécie de guia de eventos, cultura e diversão da capital gaúcha.
Lançado em março do ano passado, contabiliza 15 mil downloads e em torno de 300 eventos cadastrados por semana - destes, mais de 50 acontecem nos fins de semana. A ideia é informar as pessoas, especialmente, sobre as atividades gratuitas para que elas possam aproveitar a cidade. "Queremos que os nossos usuários saiam de casa e descubram Porto Alegre", afirma o CEO e cofundador do POA na Rua, Guilherme Fraga, que tem como parceira desta iniciativa Thiana Pinto.
Essa é a história de um negócio que começou de uma forma bem despretensiosa. Os dois moraram por um ano e meio em Barcelona, na Espanha, e lá se acostumaram a aproveitar muitos programas ao ar livre. Quando retornaram para Porto Alegre, queriam continuar fazendo o mesmo. Mas encontrar as atividades por aqui não foi algo tão fácil como imaginavam. "Saíamos de carro procurando pela rua por programas legais, começamos a nos aproximar das pessoas e tentar entender como eles organizavam essas atividades", relembra Thiana, cofundadora do POA na Rua.
O passo seguinte foi quando Fraga resolveu criar uma lista on-line com os eventos, o que logo evoluiu para um aplicativo. A ideia era que eles pudessem usar para organizar com as suas próprias programações e também dividir com alguns amigos. Colocaram no ar e, em um mês, já tinha mil downloads. "Ali, vimos que essa necessidade de localizar eventos que aconteciam na rua não era algo só nosso, e decidimos levar a sério", conta o gestor.
No aplicativo é possível encontrar a programação completa do que acontece em Porto Alegre. Os usuários podem encontrar os eventos por categorias, datas e distância, e têm, ainda, a opção de favoritar e compartilhar com os amigos. Todos os eventos passam por uma curadoria dos fundadores antes de serem cadastrados na plataforma, e a programação é atualizada em tempo real. O download é gratuito e está disponível para download nas versões para Android e iOS.
As pessoas podem cadastrar os seus eventos no app sem custo. Mas, para se monetizar, a empresa está analisando algumas alternativas, como publicidade, venda de produtos com a criação de uma espécie de marketplace e produção de conteúdo. "Estamos validando essas ideias", comenta Fraga.
CORRIGIR