Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 21 de maio de 2019.
Dia Mundial do Desenvolvimento Cultural.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 21/05 às 17h14min

Ações da Taurus sobem com fila de mais de 2 mil pedidos de fuzis por civis

Mais de dois mil clientes que estão na fila para aquisição do fuzil T4 semiautomático de calibre 5,56

Mais de dois mil clientes que estão na fila para aquisição do fuzil T4 semiautomático de calibre 5,56


LUIZ CHAVES/PALÁCIO PIRATINI/JC
Estadão Conteúdo
As ações da fabricante de armas Taurus operam em forte alta nesta terça-feira (21), depois que a empresa informou que o decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro no início do mês vai permitir o acesso da população a fuzis. Em nota, a fabricante diz que está esperando apenas a regulamentação do decreto - publicado no último dia 8 - para atender aos pedidos de mais de dois mil clientes que estão na fila para aquisição do fuzil T4 semiautomático de calibre 5,56.
"A Taurus informa que, tão logo a regulamentação do decreto nº 9.785 entre em vigor no País, imediatamente atenderá seus clientes, em até três dias após o cumprimento das exigências legais e administrativas", disse a empresa em nota. Há pouco, os papéis da Forja Taurus ON subiam 5,13% enquanto as ações PN tinham valorização de 5,56%.
No dia 8 de maio, governo federal publicou o que facilita o porte de armas de fogo para uma série de categorias de profissionais e não só para caçadores, atiradores esportivos, colecionadores (CACs) e praças das Forças Armadas, como foi destacado pelo governo. O texto também aumentou o limite da energia cinética das armas permitidas para 1.620 joules; a Taurus diz que a energia cinética do seu T4 é de 1.320 joules. Portanto, dentro da faixa permitida. Em seu site, a empresa apresenta a arma como "ideal para o uso militar e policial".
O decreto do presidente é contestado pelo Ministério Público Federal na Justiça Federal e por dois partidos no Supremo Tribunal Federal (STF).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia