Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 16 de abril de 2019.
Páscoa.

Jornal do Comércio

Notícia da edição impressa de 16/04/2019.
Alterada em 16/04 às 17h16min
COMENTAR | CORRIGIR

Porto Alegre terá o primeiro Lab de Inovação da EDP

Projetos vão inciar com foco no desenvolvimento de uma solução de casa conectada

Projetos vão inciar com foco no desenvolvimento de uma solução de casa conectada


/CHARLES TRIGUEIRO/DIVULGAÇÃO/JC
A EDP Brasil, empresa do setor elétrico que opera em toda a cadeia de valor, vai inaugurar em Porto Alegre o seu primeiro EDP Lab do País. Os projetos começarão a ser desenvolvidos a partir do dia 24 de abril. O espaço ficará no Flowork, coworking de Porto Alegre. Cerca de 10 pessoas vão atuar simultaneamente em produtos e soluções para os clientes da EDP, dentro de uma lógica de métodos ágeis e design thinking. "A nossa ideia é estar perto de startups que possam nos ajudar a desenvolver projetos com maior agilidade", conta o analista da EDP Soluções, Jonas Mai.
O primeiro desafio já foi lançado: o desenvolvimento de uma solução de Internet das Coisas (IoT) para viabilizar o conceito de uma casa conectada. A meta é a criação de um aparelho que faça a medição do consumo de energia com a instalação de um único aparelho. Hoje o time da empresa precisa instalar e medir vários equipamentos dentro das residências, o que não é prático e acaba sendo invasivo.
"Existe um roadmap de projetos que vamos buscar, mas primeiro queremos atacar essa dor do nosso consumidor residencial e comercial", explica o gestor. Depois de selecionadas as empresas, a EDP Ventures Brasil - braço de investimentos de capital de risco, vai decidir qual estratégia adotar, se aquisição ou investimento. Não será aberta seleção para atrair as startups - a ideia é que elas se aproximem por meio de networking.
A decisão de montar o primeiro laboratório na Capital se deve ao fato de que já estão aqui as áreas técnicas e de eficiência energética da companhia no País, além da percepção dos gestores de que o ecossistema de inovação da Região Sul está em evolução. "Queremos criar o eixo Porto Alegre-Florianópolis, que reúne muitas startups e empresas de inovação, e não ficar apenas entre São Paulo e Rio de Janeiro", comenta Mai.
A EDP tem matriz em Lisboa, Portugal. A empresa já está há 20 anos no Brasil e possui seis unidades de geração hidrelétrica e uma termelétrica, atendendo cerca de 3,4 milhões de clientes em suas distribuidoras em São Paulo e no Espírito Santo. Recentemente, tornou-se a principal acionista da Celesc, em Santa Catarina.
A partir do sucesso dos projetos EDP Open Innovation e EDP Starter Brasil e Espanha, foi criado o Starter Acceleration Program, com módulos na América Latina, América do Norte e Europa. A final será no Web Summit, em Lisboa. A meta é atrair startups com tecnologias inovadoras e adaptáveis ao setor de energia e ao negócio da empresa. "Queremos alavancar as nossas interações com essas empresas. Vamos investir R$ 30 milhões em quatro anos na América Latina, e nosso maior esforço está direcionado para o mercado brasileiro, que é imenso", relata o consultor da área de Inovação da EDP, Bruno Curado.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia

Patrícia Knebel

Ecossistemas de inovação, tendências globais para os negócios, marketing digital, as tecnologias que são os pilares da transformação digital (como mobilidade, Internet das Coisas e Big Data) e todas as novidades que impactam o comportamento dos consumidores e o futuro das empresas e das cidades estão na coluna Mercado Digital. Estou feliz por você estar aqui.