Porto Alegre, quinta-feira, 30 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 30 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Mercado Imobiliário

- Publicada em 21h59min, 08/04/2019.

Melnick Even lucrou R$ 70 milhões em 2018

Melnick destaca maior agilidade nas aprovações dos projetos

Melnick destaca maior agilidade nas aprovações dos projetos


CLAITON DORNELLES /JC
Adriana Lampert
Com um valor recorde de R$ 645 milhões em vendas no decorrer de 2018, a incoporadora Melnick Even também celebrou o lançamento de seis empreendimentos no ano passado. Juntos, esses produtos representam um Valor Geral de Vendas (VGV) estimado em R$ 706 milhões.
Com um valor recorde de R$ 645 milhões em vendas no decorrer de 2018, a incoporadora Melnick Even também celebrou o lançamento de seis empreendimentos no ano passado. Juntos, esses produtos representam um Valor Geral de Vendas (VGV) estimado em R$ 706 milhões.
O mais representativo foi o projeto Pontal, situado em uma área de 59 mil metros quadrados à beira do lago Guaíba, onde funcionava o Estaleiro Só.
"Foi um ano mais ágil no que tange às aprovações dos licenciamentos de projetos pela prefeitura", observa o presidente da construtora, Juliano Melnick. "O lucro líquido da empresa em 2018 foi de R$ 70 milhões, superando os resultados de 2017", completa.
A incorporadora também obteve desempenho acima do esperado na oitava edição do Melnick Even Day, ocorrido no último dia de março. O evento voltado à comercialização de imóveis com descontos resultou na venda de R$ 145 milhões - equivalente a 30% dos estoques. "Estimávamos que fosse chegar em torno de R$ 100 milhões", observa Juliano Melnick. Segundo ele, o tíquete médio das comercializações do evento também cresceu, passando de R$ 500 mil (na edição de 2018) para R$ 575 mil.
"Nos últimos anos, durante a crise, tivermos ofertas estáveis, com muitos descontos por parte das empresas, devido à queda da demanda", destaca o presidente da Melnick. "Mas com a liquidação dos estoques e o aumento dos preços dos insumos - como cimento e aço - a tendência é de que os novos imóveis cheguem mais caros", admite. A Melnick possui atualmente cerca de 40 terrenos (que somam R$ 4,5 bilhões) espalhados por praticamente todos os bairros de Porto Alegre, além de algumas cidades da Região Metropolitana e do Interior.
Comentários CORRIGIR TEXTO