Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 08 de abril de 2019.
Dia Mundial do Combate ao Câncer.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Bancos

08/04/2019 - 13h36min. Alterada em 08/04 às 16h37min

Governo gaúcho vai vender 2 milhões de ações preferenciais do Banrisul

Estado vai vender 2 milhões de ações preferenciais, o que ainda tinha dessas ações do Estado

Estado vai vender 2 milhões de ações preferenciais, o que ainda tinha dessas ações do Estado


CLAITON DORNELLES/JC
Quase um ano após vender 26 milhões de ações na bolsa de valores (B3) em 10 de abril, o governo gaúcho agora sob o comando de Eduardo Leite (PSDB) volta a adotar o mesmo expediente. Para fazer caixa diante da crise das finanças, o Estado decidiu vender 2.056.962 de ações preferenciais Classe B. A oferta foi oficializada pelo banco em comunicado ao mercado nesta segunda-feira (8). 
Não há informações sobre valor da ação e nem de quando será a oferta. O volume corresponde a 1,02% do volume de ações do Estado e 0,50% do capital social total do banco. Com a decisão, o Estado acabará com o volume de ações preferenciais classe B em seu poder.
Em 2018, o governo de José Ivo Sartori (MDB) fez duas vendas em abril. Em 10 de abril, arrecadou R$ 484,9 milhões com a venda de 26 milhões de ações preferenciais com valor de R$ 18,65 por ação, 3,61% acima do valor de R$ 18,00 estabelecido pelo governo como piso.  
Depois, em 27 de abril, foram negociadas 2,9 milhões de ações, desta vez de seu estoque de ordinárias (com direito a voto). Não houve divulgação antecipada de que ocorreria o leilão no pregão eletrônico da B3 (ex-BM&FBovespa), o que gerou críticas inclusive no mercado. O valor unitário negociado ficou mais de R$ 8,00 abaixo do fechamento do mercado da BRSR3no dia anterior, quando a ação encerrou a sessão a R$ 25,73, queda de 31,4%. As duas ofertas foram feitas pelo BTG Pactual. 
O valor total com as duas operações chegou a R$ 537,4 milhões. O Estado informou depois que usou o recursos para pagar folha de salários. 
Depois das vendas de 2018, o Estado passou de 50,62% para 49,89% do capital social, sendo 201.225.359 ações ordinárias, 751.479 ações preferenciais classe A, e 2.056.962 ações preferenciais classe B - correspondendo a 98,13%, 48,75%, e 1,02%, respectivamente.

Veja o comunicado divulgado no site do banco:

COMUNICADO AO MERCADO
O Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. (Banrisul), em atendimento à Instrução da Comissão de Valores Mobiliários nº 358, de 3 de janeiro de 2002 e ao Parágrafo 4º do Artigo 157 da Lei nº 6.404 de 15 de dezembro de 1976, comunica aos seus acionistas e ao mercado haver sido informado pelo Estado do Rio Grande do Sul (o "Controlador") sobre intenção na alienação, em leilão a ser realizado na B3 S.A. – Brasil, Bolsa, Balcão, de 2.056.962 ações Preferenciais Classe B emitidas pelo Banrisul de sua titularidade, correspondentes a 1,02% dessas ações e a 0,50% do capital social total do Banco. O controle do Banrisul pelo Estado do Rio Grande do Sul permanece inalterado. O Banrisul manterá seus acionistas e o mercado informados sobre quaisquer novos fatos atinentes à matéria em questão.
Porto Alegre,  08 de abril de 2019.
Atenciosamente,
Julio Francisco Gregory Brunet
Diretor de Planejamento e Atendimento e de Relações com Investidores
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia