Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 25 de março de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Concessões

25/03/2019 - 13h03min. Alterada em 25/03 às 13h15min

Rodovias gaúchas a serem concedidas terão pedágios e serão duplicadas

Eduardo Leite anunciou o pacote de concessões dentro do programa RS Parcerias

Eduardo Leite anunciou o pacote de concessões dentro do programa RS Parcerias


LUIZA PRADO/JC
Guilherme Daroit
Dois trechos de rodovias gaúchas estão no primeiro pacote de concessões à iniciativa privada anunciado pelo governo Eduardo Leite nesta segunda-feira (25). Na RSC-287, serão ofertados 204,5 quilômetros, entre Tabaí e Santa Maria, enquanto na ERS-324, serão 115 quilômetros entre Passo Fundo e Nova Prata. As rodovias integram o programa RS Parcerias. 
Ambos os projetos passarão por um período de consulta pública nos próximos 30 dias, e, segundo o governo, devem ter seus editais publicados nos primeiros meses do segundo semestre. O Parque Zoológico, em Sapucaia do Sul, e a Estação Rodoviária de Porto Alegre também fazem parte da rodada de concessões.
As licitações das duas rodovias serão feitas pelo modelo de menor tarifa. Na RSC-287, estão previstas cinco praças de pedágio (em Taquari, Paraíso do Sul e Santa Maria, além dos já existentes em Venâncio Aires e Candelária). A tarifa-teto é de R$ 5,93. Já na ERS-324, serão duas praças, em Passo Fundo e Nova Bassano, com tarifa-teto de R$ 9,64.
Ambos os trechos deverão ser duplicados pelas concessionárias que vencerem os leilões, com investimentos de R$ 2,3 bilhões (RSC-287) e R$ 1,1 bilhão (ERS-324). Durante o anúncio, o secretário de Governança e Gestão Estratégica, Cláudio Gastal, afirmou que espera conseguir um deságio de até 40% nas tarifas nos dois certames.
Tanto o Zoológico quanto a rodoviária da Capital serão concedidas pelo modelo de outorga. Para gerir a rodoviária por 25 anos, o vencedor terá de pagar ao Piratini R$ 10 milhões no primeiro ano de operação, mais 5% da receita bruta até o quarto ano, e 16,4% da receita no restante do período. O investimento em melhorias está estipulado em R$ 76,7 milhões.
Mais adiantado, o edital do Zoológico é esperado para esta semana, e será concedido a quem oferecer a maior outorga ao Estado. Um dos requisitos para os interessados é a manutenção do ingresso em R$ 15,00.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários