Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 25 de março de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

crédito

Alterada em 25/03 às 11h40min

Endividamento dos gaúchos tem leve alta em fevereiro e atinge 63,9%, mostra Fecomércio

Cartão de crédito segue sendo o principal meio de endividamento

Cartão de crédito segue sendo o principal meio de endividamento


MARCELO G. RIBEIRO/JC
O indicador que mede o nível de endividamento dos gaúchos encerrou o mês de fevereiro em 63,9%. O dado é da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada nesta segunda-feira (25) pela Fecomércio-RS. O percentual apresentou leve alta frente a janeiro, quando ficou em 63,2%, e queda ante o mesmo mês de 2018, que era de 70,1%. 
Na avaliação da entidade, o quadro de endividamento aparece "em nível confortável", demonstrando redução do risco de inadimplência, mais confiança na economia e consumo em ascensão. A parcela de renda comprometida com dívidas ficou estável em relação ao mês anterior, tendo atingido 29,5%.
O cartão de crédito segue sendo o principal meio de endividamento (93,1%), seguido por carnês (12,8%), crédito pessoal (8,0%) e financiamento de carros (7,6%).
O percentual de gaúchos que não terão condições de pagar suas dívidas em atraso também caiu, registrando no mês de fevereiro 5,7%. No mesmo período de 2018, o recorte apontava para 6,8%.
Na avaliação do presidente da Fecomércio-RS Luis Carlos Bohn, os resultados demonstram confiança da população com os rumos da economia do País este ano. "As reformas devem sair do papel, a população espera por isso, e está mais confiante”, destacou Bohn, em nota.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia