Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 25 de março de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Indústria

Edição impressa de 25/03/2019. Alterada em 24/03 às 01h00min

Páscoa incentiva produção nas fábricas de chocolates

Florybal aumentou em 20% número de funcionários para atender ao crescimento esperado na demanda

Florybal aumentou em 20% número de funcionários para atender ao crescimento esperado na demanda


MARCO QUINTANA/JC/MARCO QUINTANA /JC
Carlos Villela e Carolina Hickmann
Referência nacional quando o assunto é chocolate, as marcas da Região das Hortênsias agora adequam as suas produções para a realidade da demanda extra da Páscoa. O feriado requer contratações temporárias para adequação de linhas de produção. A expectativa de algumas empresas é de superar em 15% o total de produtos fabricados nas demais épocas do ano. Somente na serra gaúcha são mais de 50 empresas do tipo.
A Associação das Indústrias do Chocolate de Gramado (Achoco) prevê produção de 1,2 mil toneladas entre seus associados, um crescimento de 8% no volume para o período. O setor deve ainda chegar ao número de 2.200 vagas diretas de emprego, um aumento de 10% com relação ao ano passado. "A economia do nosso setor deu uma aquecida, estamos bastante positivos com os números desse ano", avalia presidente da Achoco, Altanisio Ferreira de Lima. Uma das apostas da Achoco é a Chocofest, evento que deve receber mais de 150 mil turistas em Nova Petrópolis, entre 11 a 21 de abril.
A Prawer Chocolates deve fabricar três toneladas de produtos relacionados à data. No período de Páscoa, a empresa trabalha com incremento de 15% na produção de chocolates. Isso significa a contratação temporária de 10 funcionários, quando, em períodos normais, existem 44 vagas fixas. O diretor da empresa, Maurício Brock, explica que há uma onda favorável ao setor neste ano, o que leva a expectativa também de bons números para a data festiva pascalina. A partir destes dados, o diretor cogita ainda ampliar sua capilaridade a partir de franquias da marca.
A Florybal Chocolates, uma das grandes marcas da região, projeta alta de 20% na demanda por seus produtos. As vendas motivadas pela festividade representam cerca de 40% do volume total anual da empresa, o que faz com que a marca aposte em uma linha de Páscoa de 100 produtos, entre ovos, coelhos, cestas e ninhos. Para atender aos pedidos, foi aumentado em 20% o número de funcionários, que normalmente conta com 392 colaboradores.
Além das produções de larga escala, as produtoras artesanais de chocolate também se preparam para as vendas do período. É o caso da Chocolataria Gramado, empresa que está em funcionamento desde 2010. Atualmente passando por um processo de alteração de estratégia, a Chocolataria, que tem 70% de seu faturamento anual na Páscoa, projeta um crescimento leve para as vendas deste ano, de acordo com Márcio Magnus, diretor comercial da empresa.
Com 45 toneladas de produção, a Chocolataria fabricou, dentre outros produtos, 40 mil unidades de ovos de chocolate de 160g. A saída de ovos recheados e trufados é um destaque das vendas da empresa, que também investiu em embalagens sofisticadas, "reduzindo a gramagem (medida da espessura e da densidade do papel) e aumentando a sofisticação do presente", afirma Magnus. Assim, complementa o diretor comercial, "as pessoas presenteiam com sofisticação e o produto não se torna tão caro".
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia