Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 19 de março de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

energia

19/03/2019 - 11h04min. Alterada em 19/03 às 12h59min

Marinha no Rio Grande do Sul inaugura uso pioneiro de energia solar no Brasil

Placas poderão gerar até 20 mil watts e economia de 95% na conta de luz

Placas poderão gerar até 20 mil watts e economia de 95% na conta de luz


MARINHA DO BRASIL/DIVULGAÇÃO/JC
Bruna Oliveira
A Agência da Capitania dos Portos de Tramandaí, no Litoral Norte gaúcho, é a primeira organização militar a utilizar totalmente a luz solar para geração de energia no País. Foram instaladas 74 placas fotovoltaicas com capacidade de gerar 20 mil watts na unidade, acarretando em economia de até 95% na conta de luz.
O Comandante da Agência da Capitania dos Portos em Tramandaí, Capitão de Corveta Darcy da Cunha Dalbon, diz que a estrutura vai suprir toda a demanda energética do local e ainda gerar créditos junto à CEEE, que poderão ser utilizados em até cinco anos. O uso de energia solar cresce a cada ano no País, e o Rio Grande do Sul já é o segundo estado em capacidade instalada.
A instalação das placas começou em janeiro, após estudo e processo licitatório iniciado ainda em 2018. A estrutura ocupa parte do telhado que abriga áreas como o estacionamento do local. O investimento custou R$ 81,5 mil e já opera desde o início de março. A energia gerada pelas placas fotovoltaicas é injetada na rede da concessionária que atende o município, gerando os créditos para serem abatidos da conta de luz.
Os recursos do investimento fazem parte de programa da Marinha Brasileira chamado Con energia, que incentiva as organizações militares para projetos de redução de gastos, e, consequentemente, para o uso de energia limpa. "A energia fotovoltaica já era utilizada em alguns pontos em outras organizações militares, mas não de forma integral. Com a experiência de Tramandaí, novas unidades devem adotar o modelo",  projeta Dalbon.
De acordo com o comandante, a maior parte do consumo de energia era puxada pelo uso de ar condicionado. Além de atendimento ao público, o local é espaço para realização de provas de habilitação para pilotar embarcações.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
jose alves 19/03/2019 13h36min
uma grande notícia, parabéns a todos nós!