Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 04 de março de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

04/03/2019 - 17h44min. Alterada em 04/03 às 17h44min

Ouro fecha em queda com expectativa de acordo comercial entre EUA e china

O ouro para entrega em abril fechou em baixa de 0,90%, a US$ 1.287,50 a onça-troy

O ouro para entrega em abril fechou em baixa de 0,90%, a US$ 1.287,50 a onça-troy


DON EMMERT/AFP/JC
Estadão Conteúdo
O contrato futuro de ouro fechou em queda nesta segunda-feira (4). A expectativa de um acordo comercial entre os Estados Unidos e China alimentou o apetite de investidores por risco, reduzindo o interesse por ativos considerados de maior segurança, como o ouro. Contudo, sem novidades sobre um possível acordo, esse otimismo perdeu um pouco de força, o que ajudou o ouro a reduzir perdas ao longo da sessão.
Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro para entrega em abril fechou em baixa de 0,90%, a US$ 1.287,50 a onça-troy.
O Wall Street Journal informou no domingo que, após meses de disputas, os EUA e a China estariam nos estágios finais da conclusão de um acordo comercial, com Pequim oferecendo reduzir tarifas e outras restrições a produtos norte-americanos agropecuários, da indústria química, automobilística, entre outros, enquanto Washington considera remover a maioria, se não todas, das sanções aplicadas contra produtos chineses desde o ano passado. Isso poderia eliminar uma preocupação que pesa há meses sobre o sentimento de investidores e tem estimulado a busca por ativos considerados mais seguros. Entretanto, a falta de uma sinalização de delegação chinesa sobre a proximidade de um acordo comercial deixou investidores ressabiados.
Participantes do mercado também aguardam os números de empregos dos EUA de fevereiro, que serão divulgados na sexta-feira. Sinais de que o robusto mercado de trabalho dos EUA perdeu força no último mês poderiam dar argumentos para o Federal Reserve (Fed) se manter cauteloso sobre as taxas de juros no país, o que ofereceria um impulso ao metal precioso.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia