Porto Alegre, sábado, 01 de agosto de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 01 de agosto de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado financeiro

- Publicada em 23h10min, 20/02/2019.

Ibovespa fecha em queda de 1,14% e dólar sobe

O Ibovespa iniciou o pregão de ontem em alta e quase chegou a superar a máxima histórica, em meio ao otimismo em relação ao texto da reforma da Previdência que foi entregue ao Congresso, considerada bastante robusta, com impacto total de R$ 1,164 trilhão em 10 anos. Porém, ainda pela manhã o índice passou a operar com volatilidade e já reta final do pregão batia mínimas, sob o impacto também da divulgação da ata da última reunião do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), que alertou que os riscos para a economia global aumentaram. Segundo profissionais do mercado, investidores aproveitaram para realizar lucros recentes.
O Ibovespa iniciou o pregão de ontem em alta e quase chegou a superar a máxima histórica, em meio ao otimismo em relação ao texto da reforma da Previdência que foi entregue ao Congresso, considerada bastante robusta, com impacto total de R$ 1,164 trilhão em 10 anos. Porém, ainda pela manhã o índice passou a operar com volatilidade e já reta final do pregão batia mínimas, sob o impacto também da divulgação da ata da última reunião do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), que alertou que os riscos para a economia global aumentaram. Segundo profissionais do mercado, investidores aproveitaram para realizar lucros recentes.
O índice doméstico fechou em queda de 1,14% pontos, aos 96.544 pontos, na mínima do pregão. O giro financeiro foi de R$ 17,5 bilhões. Na máxima intraday, chegou aos 98.543,68 pontos ( 0,90%), perto da máxima histórica de 98.588 pontos, alcançada no último dia 4 de fevereiro.
"O texto da reforma da Previdência veio dentro do esperado pelo mercado, que agora opta pela cautela, colocando na balança o quanto dessa proposta deve ser aprovado, enquanto o governo ainda não conseguiu formar uma base no Congresso", comenta Victor Cândido, economista-chefe da Guide Investimentos.
"Uma vez apresentada a reforma da Previdência, devemos ver agora uma acomodação de preços na bolsa, que deve andar mais de lado", avalia Raphael Figueredo, sócio e analista da Eleven Financial. 
O dólar chegou a cair abaixo de R$ 3,70 após a apresentação da proposta de reforma da Previdência pelo governo, mas em seguida os investidores preferiram adotar um tom de cautela e a moeda passou a subir. O dólar à vista terminou a sessão cotado a R$ 3,7319, em alta de 0,42%.
Bolsa
Comentários CORRIGIR TEXTO