Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 17 de fevereiro de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

turismo

Edição impressa de 18/02/2019. Alterada em 17/02 às 01h00min

Região das Missões jesuíticas terá ponte binacional

O projeto de uma ponte binacional sobre o rio Uruguai, na divisa do Brasil com a Argentina, foi tema de audiência na quinta-feira em Brasília entre o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio e o secretário nacional de Estruturação do Turismo, Robson Napier, com o senador Luis Carlos Heinze (PP) e o deputado federal Ubiratan Sanderson (PSL).
Os parlamentares gaúchos estavam acompanhados de prefeitos e representantes da Associação de Municípios das Missões (AMM) e da Fundação dos Municípios das Missões (FunMissões). As duas instituições reúnem 26 cidades do Rio Grande do Sul que integram a região turística das missões jesuíticas.
A ponte ligando a cidade gaúcha de Porto Xavier e San Javier (Argentina) está orçada em R$ 140 milhões, incluindo um Centro de Fronteira em uma área de 20 mil metros quadrados, em Porto Xavier, explicou o secretário de turismo do município, Ovídio Kaiser (PP). O prefeito de Rolador e presidente da AMM, Paulo Peixoto (MDB), disse que o projeto já conta com R$ 20 milhões de uma emenda da bancada federal gaúcha ao Orçamento Geral da União (OGU) deste ano. Já o prefeito de São Nicolau, Ricardo Klein (PP), lembrou que a ponte, além de incrementar o turismo entre os dois países, vai ampliar os negócios bilaterais. Atualmente, a travessia de balsa transporta 12 mil cargas por ano entre os dois países.
A obra poderá contar, ainda, com parte dos recursos previstos pelo Programa Global de Crédito do Branco Interamericano de Desenvolvimento (BID), no valor de US$ 100 milhões, destinados ao Circuito Jesuítico da América Latina. A defesa foi feita pelo ex-prefeito de São Miguel das Missões e atual presidente da Organização das Cidades Brasileiras Patrimônio Cultural, Mário Augusto Ribas do Nascimento.
O Brasil deverá ficar com US$ 20 milhões do empréstimo para infraestrutura turística na região das missões jesuíticas. A integração do roteiro de turismo religioso abrange cinco países: Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai e Bolívia.

Roteiro

As Ruínas de São Miguel das Missões ficam do lado brasileiro. Elas são remanescentes dos Sete Povos das Missões Jesuíticas e patrimônio cultural da humanidade da Unesco. Também integram o roteiro turístico a Aldeia Guarani, o Museu das Missões, a Cruz Missioneira, a Fazenda da Laje, a Fonte Missioneira, o Ponto de Memória Missioneira e o Pórtico com escrita em guarani - CO YVY OGUERECO YARA, que significa "esta terra tem dono". A Catedral Angelopolitana de Santo Ângelo e os Sítios Arqueológicos de São João Batista, São Lourenço e São Nicolau estão na lista de outros atrativos do circuito.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia