Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 10 de fevereiro de 2019.
Dia do Atleta Profissional.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Indústria Automotiva

10/02/2019 - 19h16min. Alterada em 10/02 às 20h27min

Leite projeta 'investimentos bilionários' da GM incluindo no Rio Grande do Sul

Leite visita fábrica e posa ao lado de carro Onix e Zarlenga, repetindo gesto de antecessores

Leite visita fábrica e posa ao lado de carro Onix e Zarlenga, repetindo gesto de antecessores


ITAMAR AGUIAR/PALÁCIO PIRATINI/DIVULGAÇÃO/JC
Cumprindo uma espécie de ritual a cada novo governo gaúcho, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), visitou pela primeira vez a fábrica da General Motors em Gravataí e em meio ao temor de que a montadora possa revisar planos para o Brasil. O roteiro de Leite pela fábrica, considerada uma das mais produtivas e modernas da GM no mundo, incluiu até testar ferramentas na linha de montagem, além de um test-drive com o modelo Onix, fabricado em Gravataí.  
Outro item da primeira visita é posar com o executivo principal da montadora no Brasil em frente ao carro. Foi o que o governador fez, desta vez com Carlos Zarlenga, atual CEO da marca na operação Mercosul, que inclui as unidades brasileiras. Zarlenga tem sido o porta-voz dos alertas sobre a necessidade de melhorar os ganhos no Brasil para manter unidades e investimentos. Gravataí está fazenda a terceira ampliação, com aporte de R$ 1,5 bilhão, anunciado em julho de 2017 pelo próprio CEO. 
Depois da visita, que não foi acompanhada pela imprensa, o governador elogiou a estrutura da unidade gaúcha e diss estar confiante sobre o futuro da operação. Leite citou que há conversações com a Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz). A GM quer a retomada da isenção do diferencial da alíquota interestadual do ICMS sobre frete que vigorou até 2018, quando o governo de José Ivo Sartori revogou o benefício.
"Tudo o que pudermos fazer faremos para dar condições de a empresa manter e aumentar investimentos no Estado", avisou o governador, citando que a negociação com funcionários também estão no contexto. A GM tentou alterar cláusulas do acordo coletivo em vigor com a base de Gravataí, mas recuou após mobilização contrária. A pauta será buscada para a renovação do novo acordo. O atual vale até março de 2020.
"De toda essa relação poderá surgir uma programação de investimentos bilionários, não só a manutenção do que existe, nos próximos anos, inclusive no Rio Grande do Sul", animou-se Leite, que aposta no acordo entre a montadora e trabalhadores. O secretário da Fazenda, Marco Aurelio Cardoso, foi à visita. O Palácio Piratini limitou-se a dizer que estão ocorrendo análises sobre os pleitos da empresa. 
A GM completa 20 anos de operação no Estado em 2019. A fábrica foi inaugurada em julho de 1999. Na nova ampliação, há previsão de incentivos fiscais do Fundopem, que são baseados principalmente no adiamento no recolhimento do ICMS gerado com a nova capacidade produtiva. Segundo Eduardo Leite, a GM tem de apresentar em abril um relatório da execução do novo investimento como parte das demonstrações para acessar os incentivos.
O governador esteve com a direção da GM em 30 de janeiro, em São Caetano do Sul, sede da empresa no Brasil, quando a companhia colocou na mesa o pedido de rever a alíquota do frete e outras questões na operação no Porto do Rio Grande.  
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia