Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 11 de janeiro de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 11/01 às 08h01min

Bolsas asiáticas sobem com sinal de que EUA e China vão manter diálogo comercial

Estadão Conteúdo
As bolsas asiáticas fecharam em alta generalizada nesta sexta-feira (11), após sinais de que Estados Unidos e China darão continuidade a discussões comerciais no fim do mês e o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), Jerome Powell, voltar a defender paciência no aperto da política monetária da instituição.
O vice-primeiro-ministro da China, Liu He, pretende viajar a Washington e se encontrar com o representante de comércio dos EUA, Robert Lighthizer, e o secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin, para retomar o diálogo comercial entre as duas maiores economias do mundo nos dias 30 e 31 de janeiro, segundo fontes citadas pela Dow Jones Newswires.
Entre essa segunda (7) e essa quarta-feira (9), negociadores americanos e chineses de médio escalão se reuniram em Pequim numa tentativa de superar suas divergências comerciais. Aparentemente, não houve qualquer avanço significativo, mas comunicados oficiais apontaram que os dois países continuarão dialogando.
Em 1º de dezembro, os presidentes dos EUA, Donald Trump, e da China, Xi Jinping, concordaram em suspender a aplicação de novas tarifas às importações um do outro por um período de 90 dias.
Investidores na Ásia também repercutiram a manutenção da postura "dovish" (favorável à manutenção de estímulos monetários) de Powell. Nessa quinta-feira (10), Powell e outros dirigentes do Fed reiteraram que a instituição será paciente em relação a novos aumentos de juros este ano. Ao longo de 2018, o Fed elevou juros em quatro ocasiões, a última vez em dezembro.
Os comentários de Powell ajudaram as bolsas de Nova Iorque a garantir seu quinto pregão consecutivo de valorização nos negócios dessa quinta-feira.
Na China continental, o índice Xangai Composto subiu 0,74% nesta sexta-feira e fechou a 2.553,83 pontos, dobrando os ganhos acumulados na semana. Mas o menos abrangente Shenzhen Composto teve desempenho semanal ainda melhor, com alta de 2,6%. Apenas nesta sexta, o Shenzhen avançou 0,76%, a 1.313,36 pontos. Em Hong Kong, o Hang Seng se valorizou 0,55%, a 26.667,27 pontos.
Em Tóquio, o Nikkei registrou alta de 0,97%, a 20.359,70 pontos. Na semana, o índice japonês saltou 4,08%, seu melhor resultado em dois meses. Nesta segunda-feira (14), a bolsa do Japão permanecerá fechada devido a um feriado nacional.
Em outras partes da região asiática, o sul-coreano Kospi subiu 0,60% em Seul, a 2.075,57 pontos, ajudado em parte pela blue chip Samsung Electronics (+1,8%), e o Taiex avançou 0,40% em Taiwan, a 9.759,40 pontos. A Samsung divulgou ontem que vai anunciar seus novos modelos de smartphone premium no dia 20 de fevereiro, durante evento em São Francisco (EUA). Na ocasião, espera-se o lançamento do Galaxy S10.
Na Oceania, a bolsa da Austrália contrariou o viés positivo da Ásia e o S&P/ASX 200 caiu 0,36% em Sydney, a 5.774,60 pontos. Ao longo da semana, porém, o índice australiano teve valorização de 2,8%. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia