Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 10 de janeiro de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Agronegócios

Edição impressa de 11/01/2019. Alterada em 11/01 às 01h00min

Culturas de verão avançam no Rio Grande do Sul

A cultura da soja avança e as lavouras do Estado atingem 32% da área nas fases de floração e enchimento de grãos e 68% estão em desenvolvimento vegetativo. De acordo com o Informativo Conjuntural divulgado pela Emater nesta quinta-feira (10), as fases da cultura para a safra 2018/2019 mostram-se próximas às da safra passada, quando, nesse período, as lavouras encontravam-se com percentuais muito semelhantes aos observados na safra atual.
Em importantes regiões produtoras de soja no Estado, como no Noroeste Colonial, Celeiro e Alto Jacuí, a ocorrência de chuvas e as altas temperaturas proporcionaram um crescimento mais rápido das plantas, preenchendo espaços em áreas que ficaram com baixa densidade pelo problema anterior do damping-off ou tombamento. No geral, o desenvolvimento da cultura nas regiões é considerado normal, e a presença, com ataques, do tamanduá da soja e de lagartas diminuiu em relação à semana anterior, embora com algumas aplicações de inseticidas.
Nas regiões Central, Vale do Jaguari e Jacuí Centro, a soja está em fase de tratos culturais, com áreas em desenvolvimento vegetativo e outras já em formação de vagens. Devido à necessidade de replantio em algumas áreas, as lavouras estão bastante desuniformes, porém a expectativa inicial de produtividade ainda se mantém em pouco mais de 3 t/ha na região.
A cultura do milho foi favorecida pelas chuvas que ocorreram na semana passada, o que permitiu, em parte das lavouras do Estado, a recuperação das plantas em desenvolvimento vegetativo, floração e formação da espiga. Na média estadual, a cultura encontra-se com 23% das lavouras em desenvolvimento vegetativo, 53% nas fases de floração e enchimento de grãos, 18% estão maduras e por colher e 6% das áreas já foram colhidas.
Na Zona Sul, 85% das lavouras de milho estão na fase de desenvolvimento vegetativo, e nas regiões do Alto da Serra do Botucaraí e Vale do Rio Pardo, a combinação das condições climáticas de altas temperaturas, radiação solar intensa e boa umidade do solo, em virtude das chuvas da semana, favorecem o crescimento e o desenvolvimento da cultura, especialmente lavouras em floração e enchimento de grãos. Prossegue, nessas regiões, a semeadura da cultura em restevas de fumo. Já na Fronteira Noroeste e Missões, as lavouras estão com bom desenvolvimento das espigas devido ao clima favorável. Com as chuvas ocorridas na última semana, os produtores intensificaram o segundo plantio do milho nas áreas já colhidas.
As lavouras de arroz no Estado desenvolvem-se de forma satisfatória. Nas regiões da Fronteira Oeste e Campanha, a cultura tem demonstrado bom desenvolvimento vegetativo, favorecida pela umidade do solo e dias com ótima luminosidade e calor. No entanto, as fortes chuvas dos últimos dias esses podem ter ocasionado danos às lavouras. Nas regiões Central, Vale do Jaguari e Jacuí Centro, onde são cultivados aproximadamente 137 mil hectares com arroz, espera-se uma produtividade próxima de 7.500 kg/ha. Atualmente, as lavouras estão sendo manejadas para controle de plantas daninhas, com adubação em cobertura e irrigação. Na semana, a lavoura de arroz no Estado apresentou-se com aproximadamente 79% em germinação e desenvolvimento vegetativo, 15% em floração e 6% em enchimento de grãos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia