Porto Alegre, domingo, 02 de agosto de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 02 de agosto de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Transmissão

- Publicada em 05h27min, 03/01/2019.

Cintra vê alternativas para imposto único

O secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra, afirmou que há uma série de alternativas para a criação do imposto único. Ele disse preferir a tributação sobre as movimentações financeiras, mas afirmou que é possível também criar um imposto sobre valor agregado (IVA) ou sobre o faturamento de empresas. "Ainda analisamos alternativas", afirmou após a cerimônia de transmissão de cargo para o ministro da Economia.

O secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra, afirmou que há uma série de alternativas para a criação do imposto único. Ele disse preferir a tributação sobre as movimentações financeiras, mas afirmou que é possível também criar um imposto sobre valor agregado (IVA) ou sobre o faturamento de empresas. "Ainda analisamos alternativas", afirmou após a cerimônia de transmissão de cargo para o ministro da Economia.

Antes do envio da proposta de reforma, porém, Cintra afirmou que haverá medidas de simplificação que serão enviadas pelo novo governo. Ele lembrou que a Receita já tem um projeto de simplificação de PIS/Cofins que pode ser aproveitado. "Unificação de tributos é processo que deve ocorrer paralelamente", afirmou. Cintra defendeu que o sistema tributário brasileiro tenha progressividade e que "é fundamental ter sistema de baixa tributação e ampla base".

No Imposto de Renda, Cintra admitiu a possibilidade de uma alíquota única, mas reconheceu que é preciso ter progressividade. "Não iremos ao extremo de ter apenas uma alíquota, mas poucas alíquotas acho que são absolutamente adequadas. E uma alíquota adicional para altas rendas. Não dá pra estabelecermos números", disse.

Comentários CORRIGIR TEXTO