Porto Alegre, sexta-feira, 13 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

trabalho

Notícia da edição impressa de 26/12/2018. Alterada em 26/12 às 01h00min

Sine e poa.hub oferecem vagas de trabalho

É necessário comparecer com carteira de trabalho e comprovante de residência

É necessário comparecer com carteira de trabalho e comprovante de residência


RICARDO GIUSTI/PMPA/JC
O Sine (Sistema Nacional de Emprego) Municipal encerra o ano com 201 vagas de emprego abertas. As maiores ofertas são para operador de máquinas fixas em geral, com 20 vagas, e mecânico de manutenção de máquinas industriais, com 15 vagas. Há também 15 vagas para porteiro e 12 para motorista particular. Os interessados devem comparecer ao Sine Municipal, na avenida Sepúlveda com Mauá, a partir desta quarta-feira, 26, das 8h às 17h, com carteira de trabalho e comprovante de residência. Para algumas funções, pode ser exigida comprovação de experiência.
O Sine (Sistema Nacional de Emprego) Municipal encerra o ano com 201 vagas de emprego abertas. As maiores ofertas são para operador de máquinas fixas em geral, com 20 vagas, e mecânico de manutenção de máquinas industriais, com 15 vagas. Há também 15 vagas para porteiro e 12 para motorista particular. Os interessados devem comparecer ao Sine Municipal, na avenida Sepúlveda com Mauá, a partir desta quarta-feira, 26, das 8h às 17h, com carteira de trabalho e comprovante de residência. Para algumas funções, pode ser exigida comprovação de experiência.
Já a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SMDE), por meio do poa.hub, órgão vinculado à Coordenação de Inovação (CI), oferece vagas para quem quer trabalhar em startups, empresas novas, com projetos ligados à pesquisa, investigação e desenvolvimento de ideias inovadoras .
A iniciativa da prefeitura de Porto Alegre já apoiou mais de 100 projetos empreendedores desde a sua criação, em abril de 2017. Mais de 10% das iniciativas hospedadas cresceram e se deslocaram para seu próprio espaço ou foram adquiridas por empresas investidoras.
O gestor do poa.hub, Wagner Bergozza, destaca a importância da nova ferramenta para oferecer vagas nas áreas. "O nosso objetivo é ser um espaço de validação de ideias. A intenção é que os projetos, startups, possam ter onde estruturar o seu negócio. Somos um espaço de fase zero, muito inicial, que contribui bastante com as trocas de conhecimento. Além disso, agora possuímos esse painel de vagas para quem quiser trabalhar no mercado de startups e contribuir com essa nova economia", explica Bergozza.

Senado aprova projeto de lei sobre regras de afastamento de gestante e lactante

O Senado aprovou o projeto de lei que altera regras sobre o afastamento de gestantes e lactantes em trabalho insalubre. O texto seguirá para a Câmara. Segundo o projeto do senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO), apenas poderá trabalhar em local de insalubridade mínima ou média a gestante que apresentar laudo de médico de confiança atestando sua capacidade de continuar no serviço. O assunto foi tratado em medida provisória que caducou em abril, porque não foi votada pelo Congresso.

O texto da Medida Provisória (MP) era parte de acordo do governo Michel Temer para que se aprovasse a reforma no Senado sem alterações, ou o texto teria de voltar para a Câmara. A proposta aprovada na reforma de 2017 estabelecia o contrário: para ser afastada de local insalubre mínimo ou médio, a mulher deveria apresentar atestado comprovando a necessidade de afastamento.

Com a reforma trabalhista, o número de processos pendentes de julgamento caiu ao menor volume em seis anos. Segundo o TST (Tribunal Superior do Trabalho), em outubro deste ano, últimos dados disponíveis, a Justiça do Trabalho tinha 1,2 milhão de ações à espera de julgamento. O número é igual ao registrado no fim de 2012. Desde o começo do ano, a redução é de 33%, e o estoque não para de baixar.