Porto Alegre, sexta-feira, 13 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

indústria

Notícia da edição impressa de 21/12/2018. Alterada em 21/12 às 01h00min

Foton retomará projeto em Guaíba até meados de 2019

Thiago Copetti
Após cerca de três anos de interrupção, serão retomadas, até meados de 2019, as obras da Foton, fabricante chinesa de veículos, em Guaíba. Os primeiros caminhões de pequeno porte (com 3 toneladas) e posteriormente camionetes SUV devem começar a sair das linhas de produção da unidade gaúcha em 2020, assegura o CEO da companhia, Marcio Vita. O projeto foi interrompido pela crise dos últimos anos e da queda na venda de caminhões no País, e determinou a suspensão das obras em 2016.
Após cerca de três anos de interrupção, serão retomadas, até meados de 2019, as obras da Foton, fabricante chinesa de veículos, em Guaíba. Os primeiros caminhões de pequeno porte (com 3 toneladas) e posteriormente camionetes SUV devem começar a sair das linhas de produção da unidade gaúcha em 2020, assegura o CEO da companhia, Marcio Vita. O projeto foi interrompido pela crise dos últimos anos e da queda na venda de caminhões no País, e determinou a suspensão das obras em 2016.
"Mas, agora, não há volta. Já foram investidos na cidade cerca de R$ 20 milhões no terreno, e devemos investir, nesta próxima etapa, mais cerca de R$ 100 milhões, incluído maquinário. Serão entre 250 e 300 empregos diretos e o triplo indiretos", calcula Vita.
Desde 2010 no mercado brasileiro, a Foton Caminhões, inicialmente, entrou no Brasil importando os veículos comerciais de 3,5 até 10 toneladas da Beiqi Foton, marca do Grupo BAIC, um dos mais importantes conglomerados industriais da China. De acordo com Vita, o projeto de nacionalização da produção está a pleno vapor.
"Estamos avaliando alguns pontos do projeto, mas não deve haver maiores alterações em relação ao inicial. O Brasil teve uma grande queda nas compras de caminhões nos últimos anos, mas segue um dos maiores mercados mundiais, algo entre sexto e sétimo", ressalta o CEO da empresa.
Prefeito da Guaíba, José Sperotto diz que notícia da retomada era esperada há meses e constava em documento enviado ao município pela companhia neste ano. "Juntamente com outras obras na antiga área da Ford, o projeto da Foton desenterra o sapo que havia ali", brinca Sperotto.
Do terreno de 940 hectares pertencente ao Estado, cerca de 100 hectares serão ocupados pela Foton, segundo o prefeito. A fabricante chinesa receberá os benefícios do Fundopem para finalizar o projeto e apoio municipal na facilitação de processos e licenças. Inicialmente, em 2016, o projeto previa investimento de R$ 250 milhões na unidade, o que não deve ser significativamente alterado, destaca o CEO da empresa.