Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 17 de dezembro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

petróleo

17/12/2018 - 18h23min. Alterada em 17/12 às 18h49min

Rodoil anuncia compra da Megapetro e prevê ampliação para 400 postos

Os cerca de cem postos operados pela Megapetro deverão são incorporados à bandeira da Rodoil

Os cerca de cem postos operados pela Megapetro deverão são incorporados à bandeira da Rodoil


FREDY VIEIRA/JC
A Rodoil anunciou nesta segunda-feira (17) que está comprando 100% das ações da Megapetro Petróleo Brasil S.A., de Porto Alegre. Com a aquisição, a empresa planeja aumentar em 30% o número de postos da sua marca no Sul do País, ao incorporar os cerca de cem postos que a Megapetro opera atualmente, totalizando mais de 400 postos com bandeira própria na região.
A concretização da operação depende ainda da aprovação do Cade. A estruturação e negociação durou cerca de 6 meses e, para o presidente da Rodoil, Roberto Tonietto, já estava no radar da companhia em razão da similaridade de ambas as empresas em modelo de gestão, além de uma trajetória de sucesso no mercado.
"A aquisição está alinhada com o nosso planejamento estratégico de criar uma empresa dinâmica, com qualidade em nossos produtos e serviços oferecidos aos consumidores, bem como garantir uma maior competitividade para os revendedores", afirma o empresário.
Fundada em 2006, a Rodoil apresentou faturamento de aproximadamente R$ 5 bilhões em 2018. Atualmente, fornece para outros 1,4 mil postos de bandeira branca nos estados do Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia