Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 06 de dezembro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura

06/12/2018 - 11h32min. Alterada em 06/12 às 11h36min

Ipea aponta recuo de 0,4% em investimento em produção em outubro

Frente a outubro de 2017, o Ipea mostra crescimento de 5% na variável que mede nível de investimento

Frente a outubro de 2017, o Ipea mostra crescimento de 5% na variável que mede nível de investimento


ARQUIVO GERDAU/DIVULGAÇÃO/JC
O Indicador de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF), calculado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), apontou queda de 0,4% em outubro frente a setembro. A formação bruta indica o nível de investimentos em capacidade de produção.
Frente ao mesmo mês de 2017, o Ipea mostra crescimento de 5% na variável. “Embora os investimentos tenham iniciado o quarto trimestre deste ano com queda de 0,4%, essa pequena flutuação deve ser relativizada, devido à base alta de comparação nos meses anteriores”, explica Leonardo Mello de Carvalho, técnico de planejamento e pesquisa do Grupo de Conjuntura do Ipea, responsável pelos dados.
Nos 12 meses até outubro, o avanço acumulado é de 4,2%. “Isso revela uma recuperação gradual dos investimentos em 2018, resultado da percepção dos empresários de que o cenário econômico está melhor”, afirma Carvalho. 
O consumo aparente de máquinas e equipamentos (Came), que é a produção doméstica líquida das exportações acrescida das importações, teve alta de 0,7% em outubro, frente a setembro. A produção interna de bens de capital líquida de exportações avançou 1,3%, ao passo que a importação desses bens recuou 3,6%.
A construção civil teve recuo de 0,6% no mês, após alta de 1,2% em setembro, no trimestre terminado em outubro. O terceiro componente da FBCF, os outros ativos fixos, avançou 1,3% na passagem de setembro para outubro.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia