Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 04 de dezembro de 2018.
Dia Mundial da Propaganda.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 04/12 às 18h28min

Petróleo fecha em alta de olho em Opep e câmbio, mas cautela contém ganhos

Estadão Conteúdo
Os contratos futuros de petróleo fecharam com ganhos nesta terça-feira (4), apoiados pelo dólar em geral mais fraco em relação a outras moedas fortes. Além disso, investidores monitoraram a possibilidade de cortes na oferta, na reunião desta semana da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e de aliados do grupo, como a Rússia. Por outro lado, o quadro de piora no apetite por risco nos mercados conteve o movimento.
Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o petróleo WTI para janeiro fechou em alta de 0,57%, em US$ 53,25 o barril, enquanto na Intercontinental Exchange (ICE) o Brent para fevereiro avançou 0,63%, a US$ 62,08 o barril.
A Opep e seus aliados poderiam cortar a produção em ao menos 1,3 milhão de barris por dia, de acordo com relatos da imprensa baseados em fontes ligadas ao tema. O presidente da Opep, Suhail al-Mazroui, afirmou estar otimista sobre a chance de corte na oferta nesta semana. A autoridade não quis, porém, comentar qual pode ser o tamanho da redução.
Já o ministro da Energia da Arábia Saudita, Khalid Al-Falih, afirmou que é prematuro dizer o que ocorrerá no encontro em Viena mais para o fim desta semana. Ainda segundo ele, os sauditas desejam estabilizar o mercado e, se necessário, pode haver corte na oferta.
No câmbio, o dólar mais fraco torna a commodity mais barata para os detentores de outras moedas, o que tende a apoiar a demanda.
O petróleo chegou a subir acima de 2% pela manhã, mas perdeu fôlego, em meio à piora do apetite por risco nos mercados internacionais, com queda nas bolsas, e maior busca pela segurança dos Treasuries.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia